domingo, 28 de julho de 2013

PAZ

PAZ


Pediram-me para escrever algo sobre a Paz por ocasião do Dia Internacional da Paz que a ONU agora instituiu para dia 21 de Setembro.

Poderia dizer muitas coisas bonitas sobre o assunto, mas prefiro partilhar algumas considerações fundamentais, a meu ver, se o que se quer é Paz.

Nem todos querem Paz. Este é o primeiro ponto a ter em conta. E a Paz não pode ser imposta ou impingida a alguém que não a queira. Afinal de contas todos têm direito às suas próprias experiências, sejam de que tipo forem. É esse o propósito da vida na Terra e do dito Livre Arbítrio sobre o qual não me alongo no contexto desta partilha.

Depois há os que dizem que a querem mas vivem de forma diametralmente oposta à dita Paz que querem. Estes são a grande maioria dos que habitam no nosso lindo planeta Terra. É principalmente a estes últimos que me dirijo hoje. Por isso, se tu és uma daquelas pessoas que dizem que o que querem é Paz mas que tem dificuldade em encontra-la e vivê-la, o que se segue é para ti.

A vida na Terra está plena de distrações, manipulações e seduções. No meio de toda esta salada de frutas- de jogos -diria, há que discernir o que serve o propósito do que queremos e não queremos vivenciar. 
Discernir e escolher.

O problema é que o discernimento requer tomar consciência, o que por sua vez requer tomar responsabilidade e consequentemente assumir-se – no dito bem e no dito mal – assumir-se.

Só depois de aceitar que somos o motor da nossa realidade e que o reflexo espelhado do que acreditamos é o que constantemente se manifesta, é que podemos realmente começar a escolher. Até lá a escolha é feita por todas as nossas crenças, hábitos e padrões.

Ora bem, agora voltando ao assunto da Paz. O stress, a ansiedade e a preocupação tomaram conta do mundo dito moderno. De tal forma que se instalou o vício da adrenalina – hormona necessária à sobrevivência, não à vivência.

Estimulantes como o drama indispensável, o consumismo de todas as espécies, o trabalho como valor mais alto, o sexo como paliativo, a droga e os restantes vícios como alienantes, a televisão e o cinema como thrillers constantes, a coscuvilhice como entretenimento, toda a espécie de jogos competitivos de poder em todas as áreas, o excesso escasso e a escassez excessiva, o fanatismo político, religioso e desportivo… tudo formas eficazes de afastar qualquer um da Paz que busca – são no entanto o “prato do dia” à mesa de qualquer comum mortal.

Se o resultado que se quer é diferente, há que mudar então a conduta, pois a mesma conduta só pode conduzir ao mesmo resultado, exacerbado exponencialmente pela prática constante dos mesmos hábitos dissonantes – qual bola de neve.

Tens na tua vida muitos motivos de stress? Sentes ansiedade com frequência? Preocupas-te com facilidade? Vês ou lês as notícias todos os dias? Há pessoas que te irritam compulsivamente? Perdes a calma nas mais diversas situações? Há conflitos internos entre a forma como vives o teu trabalho e a tua família? Culpas-te constantemente por isto ou aquilo? Evitas normalmente dizer o que sentes? Não consegues encontrar tempo para cuidares de ti? Dispersas-te por centos de ocupações? Achas que não mereces… seja o que for que achas que não mereces? Achas que o bem-estar dos outros depende da tua ajuda permanente? Sentes-te tenso/a com frequência? Usas maioritariamente o teu tempo a lutar por algo ou contra algo? Há episódios frequentes de violência no teu dia-a-dia, sejam eles físicos ou verbais, envolvendo-te diretamente ou a que assistes apenas como espetador? Filmes ou cenas de terror despertam-te a atenção e ficas preso/a a esses eventos com facilidade? A tua mente parece-se com um engarrafamento de vozes constantes cujo ruído é de tal maneira incomodativo que procuras sempre ter som de fundo (rádio, TV, MP3, MP4 etc)? As tuas escolhas diárias derivam do medo do perigo de seja o que for? A negatividade geral permeia os teus pensamentos e emoções? Muitos ou alguns dos teus relacionamentos são permeados pelo conflito e desarmonia?

Se sim, sim e sim à maioria destas perguntas, ainda achas que é com os outros que deves ocupar-te em vez de contigo mesmo/a?

Isto é, se é Paz que dizes que queres, não te parece que tens o suficiente para resolver na tua própria vida para poderes eventualmente viver em Paz sem teres que “casar-te” com os dramas do mundo inteiro também?

Há sim, há muitas distrações e é fácil perdermo-nos no labirinto de todas as solicitações externas.
No entanto, sem coerência não é possível concretizar nenhum objetivo concreto – como por exemplo o da PAZ.

Quando a tua Presença emanar Paz e quando a tua realidade for um reflexo disso, então trarás Paz ao mundo SENDO. Não será uma Paz imposta, não terá a ver com teres concertado nada nem ninguém, não será por teres que salvar seja quem for, será por Seres quem ÉS, na Realidade. Tudo o resto é ilusório.
Ser seletivo é essencial. Não será por te envolveres na luta, por veres os dramas constantes que a televisão e outros meios de comunicação te seduzem a ver, não será por participares de infindas verborreias de má língua contra isto ou aquilo, que vais chegar a SER PAZ. Coerência, repito, é fundamental.

Quando vives em Paz, quando emanas Paz, quando és Paz, aí sim, prestas um precioso serviço à humanidade, no mundo inteiro, pois essa vibração fica impressa no tecido da consciência global e cria um potencial novo para todos. E prestas este serviço em total Compaixão sabendo que todos têm o Livre Arbítrio de experienciarem o que mais lhes aprouver, ainda que a ti te pareça inapropriado. Deixa, aliás, de te parecer inapropriado. É o que é. E tu És o que ÉS.

Há apenas um senão. É que para chegares ao ponto de equilíbrio que por sua vez é a raiz da Paz e te permite viver em profunda serenidade, há que passar através do pântano, tal como a flor de lótus (mais conhecida como nenúfar!!!). E passar pelo Pântano dói… e a sua negritude assusta. É ao pântano interno que me refiro, claro. E para além de doer dá trabalho, pois requer atenção constante – aquilo a que se chama de consciência – requer-te atento/a a tudo em ti e à tua volta, ao teu mundo. E requer responsabilidade pelas tuas criações e coragem para deitar todas as estruturas criadas em ti abaixo e escolher/criar de novo, o que na prática quer dizer sair completamente fora do padrão comum, largar tudo o que conheces como certo e sabido e descobrir-te de novo para além da identidade que te representava.

É isto, a PAZ. Queres? Faz algo por isso, não ao participar da sua antítese mas desfazendo-a de dentro para fora.

Apenas um Mestre está realmente ao serviço. Tudo o resto são jogos.




sexta-feira, 26 de julho de 2013

ISNESS

ISNESS


Isness is a full time job of effortless simplicity, vacating the illusion of mass consciousness while assuming the reality of expanded consciousness.
Under any circumstances whatsoever, no matter where, no matter how, it is who you are that matters, not who you seem to be.


quinta-feira, 25 de julho de 2013

Transparence / Transparência

Transparência / Transparence


Funny thing that it takes more courage to be transparent than to keep on pretending, even though pretending is such an effort.
So my invitation for today is TRANSPARENCE in all situations, with all people, in all places :) It’s amazing what a clear mirror can reflect ;)

É engraçado como é preciso mais coragem para ser transparente do que para continuar a fingir, ainda que fingir implique muito mais esforço.


O meu convite para hoje é TRANSPARÊNCIA em todas as situações, com todas as pessoas e em todos os lugares por onde passas :) O reflexo de um espelho límpido é incrível ;)


quarta-feira, 24 de julho de 2013

Possibilities / Possibilidades

Humans come in all types, colours and outlooks so here is an out of the ordinary example that shows everything is possible ;)

Há humanos de todas as formas e feitios, cores e pontos de vista. Deixo aqui mais um exemplo invulgar que ilustra o adágio de que tudo é possível ;)

http://finance.yahoo.com/news/how-i-retired-at-32-191840012.html

Sobre Karma e Quem ÉS

Sobre Karma e Quem ÉS


Karma é apenas um sinónimo de Passado. E isto, por sua vez, determina o teu Futuro.

Até que resolvas o passado, aceitando-o, integrando-o e largando-o, o teu Futuro será apenas o teu Passado. Nisto reside o princípio do Karma – causa e efeito. Porque no Agora ele não existe.

Não precisas então de nenhum método de Cura do Karma pois ele (o Karma) não existe a não ser que vivas o teu Futuro no Passado e o teu Passado no Futuro.

De cada vez que aceitas, integras e largas um pedaço de ti que já não te serve, o apego ao passado desaparece. Logo, desaparece o Futuro. E eis que ficas Presente no Presente. E quem vive no Presente não tem Futuro. Pois nesse caso tudo deriva do teu estado de Presença.

O Karma serve então como nada mais nada menos que um paliativo. Atenua o medo do desconhecido… de não ter Futuro, mantendo-te no Passado conhecido de um Futuro esperado.

A questão é: se dizes que queres “Curar o Karma” porque não largas de vez os padrões conhecidos, as crenças que te limitam, as dúvidas, as culpas… ? 
Porque é muito para largar de uma vez só! Claro.

Então pergunto de outra forma: porque não acreditas que podes largar tudo, eventualmente? 
Porque parece impossível por ser tanto! Pois.

Mas é possível. Com Compaixão. A Compaixão é de uma vez só aceitação de tudo (tudo é o que é), perdão , ou seja desapego – largar o que não serve o Amor total de Quem ÉS, Amor Incondicional puro e a Totalidade de TI! Isto é Compaixão. E com perseverança, determinação, força, coragem, vontade inabalável e muita, mas mesmo muita paciência tarde ou cedo tudo se integra no oceano de Quem Realmente És que É por sua vez tudo o que É.

Karma é Maya – Ilusão. Quando te tornas Presente, Consciente de Quem Realmente ÉS, ambos desaparecem como que por um passe de mágica. Mas não. Não é mágico o seu desaparecimento, ainda que os efeitos do seu desaparecimento o sejam. Desaparecem porque nunca lá estiveram. Apenas acreditámos que estavam.

É isto, muito simplesmente: tu não és o teu Passado, logo não és o teu Futuro porque apenas ÉS Aqui e Agora! O resto desenrola-se por si mesmo, na medida em que te permites SER Quem Realmente ÉS todos os momentos. De outro modo o que vives são os fogos fátuos de múltiplas personalidades criadas e recriadas ao longo de todas as eras da tua existência.


É fácil? Não propriamente. Mas é absolutamente simples J

Respira. Respira-te. Re-inspira-te e SÊ.



terça-feira, 23 de julho de 2013

Partilha ReamaHara e InPassion

Amados leitores,

Em época de Sol e Água, nas mais variadas combinações, aqui vos saúdo e desejo Abundância de tudo quanto realmente querem J
Aqui deixo uma pequena partilha (mais textos e partilhas em http://inpassionpublications.blogspot.com ) bem como a agenda InPassion e ReamaHara para Agosto e Setembro. Esta Agenda poderá sofrer alterações, nomeadamente adições. Por favor consulte regularmente o botão AGENDA no site www.inpassioncoaching.com para se manter a par das atualizações. Obrigada.

PARTILHA:

Tu não és um corpo com uma Alma algures por aí.
És uma Alma com um corpo AQUI.
Nisto reside a inversão fundamental da ilusão.
Tu ÉS um Anjo Humano!

You are not a body with a Soul somewhere out there.
You are a Soul with a body right here.
In this resides the fundamental inversion of illusion.
You ARE a Human Angel!


Agenda ReamaHara
(nota: para todos os eventos é necessária inscrição prévia. Por favor contacte-nos. Obrigada.)

Agosto

12 de Agosto (2ª feira) – Concerto Meditativo Intuitivo de Respiração Consciente e Palestra ReamaHara, Estrela D’Alma – Abrantes. 21h00. TEMA: Gratidão
14 de Agosto (4ª feira) – Concerto Meditativo Intuitivo de Respiração Consciente e Palestra ReamaHara, Espaço Essêmcia – Torres Novas. 21h00. TEMA: Compaixão

Setembro
21 de Setembro (Sábado) – Workshop ReamaHara – Reamar o SER, Estrela D’Alma – Abrantes. 14h30 às 22h30 (Com intervalo para jantar). Para mais informações por favor contacte-nos. O programa segue a baixo.

*****************************************************************************************************

Agenda InPassion
(nota: para todos os eventos é necessária inscrição prévia. Por favor contacte-nos. Obrigada.)

Agosto


13 de Agosto (3ª feira) – InPassion Sessões de Abundância, Estrela D’Alma – Abrantes. 19h30 às 22h30. TEMA: Ilusão e Realidade
25 de Agosto (Domingo) – InPassion Sessões de Abundância, Espaço Xilua – Olival Basto (Lisboa). 10h00 às 13h00. TEMA: Materialização… do que realmente queres! (Seguido de piquenique de partilha na praia da Ericeira)
25 de Agosto (Domingo) – Apresentação dos Livros InPassion, com destaque para “Não Apenas mais um Livro sobre o Amor – O Livro sobre O AMOR” (Sessão de Autógrafos) – Feira do Livro da Ericeira (Livraria ao Pé das Letras). 17h00

Setembro

6, 7 e 8 de Setembro (6ª, Sáb. e Dom.) – Encontro Vivencial (Residencial) Mente e Alma… no meu Corpo – Vila Gaia (Dornes). Para mais informações por favor contacte-nos. O programa segue a baixo.

22 de Setembro (Domingo) – InPassion Sessões de Abundância, local a definir. 15h00 às 18h00. TEMA: A Realização dos teus Sonhos

***************************

Workshop ReamaHara
Reamar o SER
21 de Setembro (Dia Internacional da Paz) – Estrela D’Alma – Abrantes
14h30 às 22h30
Som + Respiração Consciente + Movimento + Voz + TU = Total Potencial Criativo
Workshop prático e vivencial que leva cada um até ao seu SABER INTERNO, ativando a CRIATIVIDADE, aumentando e reforçando a AUTO-ESTIMA, a AUTO-CONFIANÇA, a voz pessoal, o SER TOTAL. Desbloqueio e expansão energética a todos os níveis (físico, emocional, mental, espiritual).
O Workshop ReamaHara é uma experiência única de enraizamento e reconexão contigo mesmo/a.
Um dia. Uma experiência única. Uma vivência especial de Retorno a Casa, em ti mesmo/a.
J Celebremos J
*Workshop facilitado pelo Grupo ReamaHara.
Contribuição: 65€
Informações / Inscrições:
Estrela D’Alma
Travessa do Pachedo nº6/8/10, r/c esqº Abrantes
Tel: 961239226
ReamaHara: 917369951

Programa Geral:
(o horário neste caso é das 14h30 às 22h30. A estrutura mantém-se)

10:00 Introdução
10:30 Concerto Meditativo Tema: Compaixão e Espaço Seguro
11:30/45 Coffee break
12:00 Descobrindo a Tua Voz de Poder
12:30 Descobrindo o Teu Corpo e o teu SER em Movimento
13:15 Intervalo para almoço
14:30 Concerto Meditativo Tema: Auto-Confiança e o AMOR em ti – o Teu Poder Real
15:00 Voz de Poder com Movimento – Perceção sonora
15:45 Sessão experimental com instrumentos de som e voz
16:15 Partilha do Saber e do Sentir
16:30 Coffee Break
16:45 Concerto Meditativo final – A Paixão Criativa – Sê quem Realmente És
17:30 Partilha final do Saber e do Sentir

Nota: este programa pode sofrer alterações conforme o grupo. Por outro lado, cada workshop é uma viagem interna, uma experiência única e irrepetível pois é inteiramente vivencial e todo o som e exercícios são produzidos de forma espontânea, momento a momento. Pode por isso ser repetido tantas vezes quantas se quiser.

*********************************

Encontro Vivencial (Residencial) Mente e Alma… no meu Corpo
6, 7 e 8 de Setembro
Vila Gaia – Dornes

Evento no facebook (com fotos do local): http://www.facebook.com/events/618784098146715/



* Ilusão e Realidade – crenças, hábitos, padrões fixos
* As vozes e A VOZ – Quem sou?
* As partes e o TODO – as partes do TODO – Integração de Aspetos
* Karma e Dharma – dívida ou dádiva
* O Humano e o Divino – o Humano Divino
* Sentir, Escutar, Integrar, Ser e Expandir – a Re-União
* Onde estou? Onde quero ir?
* A minha verdadeira face – a minha verdadeira expressão
* Viver em Paixão

Este é workshop é uma vivência prática de Integração de todas as tuas partes: Corpo, Mente e Alma, numa só Unidade coerente e cooperativa, dando sentido a tudo o que pensas, dizes e fazes. Para mais informação por favor contacte-nos.
Necessária inscrição prévia.

Entrada 6ª 6/9 a partir das 17h e até às 20h. Termina Domingo 8/9 às 15h.

Participação: 180€ (necessária inscrição prévia. Possibilidade de pagamento faseado. Por favor contacte-nos). Inclui 2 noites de alojamento, 2 jantares, 2 almoços, 2 pequenos almoços, workshop e coffee breaks.
Oferta: de 1 sessão individual de Integração com Respiração Consciente, no valor de 60€, a marcar após o workshop.
Facilitadora: Tânia Castilho

Parceria com o Espaço Estrela D’Alma em Abrantes (Travessa do Pacheco, 6/8/10, r/c esq, Abrantes)

Informações /Inscrições:

Contactos: Tânia Castilho (Inpassion Coaching) 917369951/ Ana Luiza Barata (Estrela D’Alma) 961239226 / Angelika Schmidt (Vila Gaia – Turismo de Habitação) 938321142
Nota: por favor traga roupa confortável e fato de banho/toalha. Para além de nadar no rio Zêzere, é possível fazer canoagem e fazer passeios de barco a remos. 6ª feira 6/9 é possível entrar a partir das 14h e domingo 8/9 é possível ficar até ao final da tarde.



*****************************

Para além do Mente e Alma… no meu Corpo há apenas mais um Encontro Vivencial (Residencial) InPassion este ano. É o Simbiose a 1, 2 e 3 de Novembro na Foz do Arelho (sobre a integração do feminino e masculino em harmonia dentro de cada um -ver botão InPassion People no site www.inpassioncoaching.com para mais informações).

Saudações Criativas
Tânia Castilho e InPassion Team


segunda-feira, 22 de julho de 2013

The Wisdom of the Heart

The Wisdom of the Heart


I have a picture on the wall of two red flowers rising up to the sun and they are so large that they reach the sky and touch the clouds in their profuse passion to BE. It was drawn by my son when he was 4 and it is a constant reminder of the joy of LOVE.

It makes me smile as it kisses me good night and when I open my eyes in the morning it greets me with a welcoming hug.

“Good morning life! Thank you for yet another day to celebrate.” I say with my heart’s words.

My heart talks a lot now! Sometimes it uses “words” and others just the pure wisdom of Love and ever since I have surrendered to it completely I cannot thank it enough for its constant guidance.

There is nothing quite like the wisdom of the heart which is the brain of the Soul. And its branchild is ME. All of me (the other brain, the regular one, is the instrument of the Soul’s brain - the Heart ;))


Just like you and your heart. Have you been listening to its tender whisper lately?




quarta-feira, 17 de julho de 2013

Essence / Essência

When the Essence speaks, illusion silences.

Quando a Essência fala, a ilusão silencia-se.
T. C. Aeelah


terça-feira, 16 de julho de 2013

Love /Amor

Love thyself and LOVE shall be your language.

Ama-te e o AMOR será a tua linguagem.

T. C. Aeelah


segunda-feira, 15 de julho de 2013

Magic

One of the participants in the InPassion Con...Passion workshop 5/6/7 of July 2013 in Sintra captured some of us in this beautiful picture and added the caption:
Call it New Energy, call it Sun, call it Magic, call it whatever you feel. YES, FEEL.

Thank you <3

Um dos participantes no workshop residencial InPassion Com...Paixão nos dias 5/6/7 de Julho de 2013 tirou esta foto esplêndida e adicionou:
Chama-lhe Nova Energia, chama-lhe o Sol, chama-lhe Magia, chama-lhe o que sentires. SIM, SENTE.

Obrigada <3






sábado, 13 de julho de 2013

Attention!!! Attention!!!

Attention!!! Attention!!!


The dynamics of energy exchange is a fascinating maze.

We have come to develop such intricate ways of “extorting” energy from each other that some are so subtle as to be almost imperceptible.

One of them is the vast realm of Attention. What is amazing to me is how the very same thing that can denote total Presence is also the one that can denote total Absence.

What do I mean?

Attention seeking strategies such as drama based patterns of victimhood, arguments and violence in general, sexually seductive strategies and the like are effective ways of “Energy Stealing” or “feeding” as it is also called. By grasping one’s attention, the “feeder” manages to remove huge amounts of “tasty” energy from the one who is drawn into this very enchanting ego trap. One is caught by the need to be nice, the need to help, the need to fulfill different types of necessities such as recognition, power, control…

Once we become aware of the dynamics of “energy feeding” and start to refuse to participate in the game, either by not allowing ourselves to be “fed” on, or by not doing it ourselves, we tend to let our attention wander whenever it is sought by someone.

The drawback of this effective defense mechanism is that it becomes addictive. In other words, we get used to letting our attention wander elsewhere, which makes it hard to remain fully Present even when our attention is required for our own benefit, or has a genuine benefit for our interlocutor.

This kind of dispersion mechanism, doesn’t always serve our best interest, though it was created with that purpose . It works as an automatic trigger, by not allowing our energy to be “taken” even when we are unaware that it might be happening. We have devised a way to let our attention wander easily, lest we get caught in a compromising energy feeding situation, even when it isn’t.

Awareness is the key. If we are constantly aware, therefore Present, there is no need for automatic defense strategies. We take it as it comes. This means that when we actually need to pay attention, we do. And this saves us a huge amount of energy, rather than removing it. Why? Because if we pay attention to something that we are learning for example, and listen carefully the first time over we save ourselves the energy of having to listen to the same thing again, and we save the other person from having to spend yet more energy to explain it all over again as well!

So next time you ask for some information or are in a learning situation, or even when you are talking to someone about whatever subject, do yourself a huge favour: pay attention! Listen. Really listen. Feel. Sense. Be aware. Be fully Present. Be fully in the moment. Be fully there. Then it will be easy to withdraw from a potentially “needy feedy” situation by conscious choice, and on the other hand, if you are fully there, there is nothing to steal from you! You are totally available, not to be fed on, but just to BE, in which case there is nothing to take because you are giving yourself entirely to your Presence in the Now moment, wherever you are. In this case, the feeling of Compassion is so complete that you will not be able to disrespect yourself in any way, be it by letting your energy be removed inadvertently, or by removing from another. You don’t need it anyway, because when you are fully Present you have everything you could possibly need.
Yes, because when you keep on asking the same things repeatedly you are the one who is feeding on someone else’s energy, and wasting yours in the process as well!

It is only with full Presence, full Attention, that you can be of any real help to anyone else as well. The simple fact that you are fully there opens up a whole new window of awareness for the actual interaction to proceed from a completely different standpoint, leading to a creative energy exchange rather than an “energy feeding” game.

So next time you are being spoken to don’t pretend you’re listening: listen! If it is a waste of energy you will feel it instantly and by being totally honest you can simply withdraw from the situation, in any appropriate way. It will be a valuable favour for both because by not allowing “energy feeding” to go on you break a pattern not only for you, but you also create a new potential for others, and especially for your interlocutor. So in fact sometimes being nice is more of problem than a solution. Being transparent goes way further than nice. And being transparent requires awareness, Presence, Compassion, YOU, fully.

Since I’m at it, I might as well also mention: please listen to what the other person in saying, not to what you assume he/she is saying. Yes, to a certain extent we all listen from a biased standpoint, according to the filter of our values and beliefs. Then again, if you are fully Present and Aware, it is possible to reduce those filters to a bare minimum and become available to just listen, with no assumptions. This allows communication to flow naturally and effortlessly both ways – this is a creative energy exchange. If, by any chance you realise that what the other is saying serves the sole purpose of “energy feeding” then you are free to choose not to listen anymore by removing yourself entirely from the other person’s presence, honestly putting an end to your interlocution. But until you clearly come to this conclusion, listen. Really listen.

I used to have the unnerving habit of interrupting people before they had finished saying what they had to say, by jumping to the conclusion of what they were about to say. This served as a defense mechanism on my part, supposedly reducing the energy that was being taken from me through my attention. In fact it resulted in the opposite. Not only did the person lose their train of thought, making them have to search for what they were about to say, keeping me waiting for it, therefore still giving my attention, but it also created a sort of friction in the interaction, not allowing it to flow. A waste of energy on both sides.

Ever since I have chosen to release this habit and give my full attention to the situation at hand, I have become much more energy efficient and have discovered how easy it is to communicate when we are fully Present. Not only do I retain what is being said, but I also effectively choose whether to stay in an interaction that is productive both ways, or to remove myself from it with no energy waste.

Needless to say that since I am no longer dependent on anyone’s energy to sustain myself, I do not have people “feeding” off of my energy either. I simply do not attract them into my Presence.

Paying attention is a win win choice of PRESENCE.

I challenge you to realise: are you paying attention? Are you fully Present in all of your interactions?




quinta-feira, 11 de julho de 2013

InPassion Com... Paixão

(5, 6 e 7 de Julho 2013) Fim de semana do workshop InPassion Com...Paixão: pôr do sol radiante e jantar à beira mar... tudo absolutamente mágico em Paixão total com a Vida. Que dança sublime ♥ Obrigada aos participantes! Um abraço enorme com todo o meu Amor

5th, 6th and 7th July 2013) InPassion Con... Passion workshop weekend: radiant sunset and dinner by the sea... an absolutely magical experience in total Passion with Life. A sublime dance ♥ Thanks to all who participated! A huge hug with all my Love



If only... / Se ao menos...

“If only…” / “Se ao menos…”

What about throwing “if only…” in the bin for today and looking around you to appreciate what is already there. If, after looking around you there is nothing you really appreciate than it might be time to stop, take a deep breath and re-choose your reality!!! J What is it that you really choose for you?

***


E se demitasses o “se ao menos…” para o lixo só por hoje e olhasses à tua volta para apreciar o que já tens. Se, após olhares em torno de ti te deres conta de que não encontras nada que realmente aprecias, então talvez seja o momento de parar, respirar fundo e re-escolher a tua realidade!!! J O que é que realmente escolhes para ti?



segunda-feira, 8 de julho de 2013

Happiness... Fulfilment / Felicidade... Plenitude

Happiness… Fulfilment


(Text in English e em português)

I have a question for those of you who have a dream of one day living in complete fulfilment (which includes joy, love, wealth, peace and so on – whatever complete fulfilment is for you) but constantly say things like: “the search never ends, it is human nature to constantly search for something we don’t yet have”; “no one is ever completely fulfilled, there is always something missing”;  “it is impossible to live in complete happiness and fulfillment all the time” … and so on and so forth.
My question is: if you don’t believe it is possible to ever achieve happiness and be completely fulfilled why do you even bother to dream about it?
Your reality manifests according to what you choose (consciously or not – and about the fact that one can also choose unconsciously we can talk another day ;) ), believe and allow. In other words, first you have to make up your mind about what it is that you actually want to achieve/live in your life, then your beliefs have to be in accordance with this choice, and last but not least you have to allow it to happen. Only then can it be as you dream.
There are a whole lot of “have to’s” in the above statement but it is simply the way manifestation works. You are the Master of your reality’s manifestation. Of course you can be a Master Victim, or a Master Skeptic, or a Master Worrier, or whatever, but you’re still the Master. On the other hand you can be The Real Master and bring what you think (believe), choose, trust, say and do all into the same balanced line of vibration, in which they become all one, with no separation between your choice (dream), your thought (belief), your receptivity (allowing in trust) and the actual manifestation (do) of each moment you live.
If this isn’t so then don’t even bother to dream, because you will be fighting against your dream with each statement of impossibility you proffer and on top of it your dream (a part of you) will be spending a huge amount of energy trying to manifest in a non-receptive reality, therefore never manifesting.
Wouldn’t it be great if you could fully cooperate with your heart’s desire for a completely fulfilling life/YOU (your dream) instead of fighting against it?




***

Felicidade… Plenitude

Tenho uma pergunta para aqueles que têm um sonho de um dia viverem em plenitude (o que inclui alegria, amor, paz, prosperidade e por aí adiante – o que quer que seja que a completude total significa para ti) mas que constantemente dizem coisas como: “a busca nunca acaba, faz parte da natureza humana estar em permanente busca de algo que ainda não tem”; “ninguém jamais está em completude total, há sempre algo que falta”; “é impossível viver em completa felicidade e completude o tempo todo”… e outras afirmações semelhantes.
A minha pergunta é: se não acreditas que é possível atingir a felicidade completa, a dita plenitude, porque é que sequer sonhas com isso?
A tua realidade manifesta-se de acordo com o que escolhes (conscientemente ou não – e sobre o facto de ser possível escolher inconscientemente podemos falar noutro dia ;) ), acreditas e permites. Por outras palavras, primeiro tens que te decidir sobre o que queres mesmo atingir/viver na tua vida, depois as tuas crenças têm que estar de acordo com esta escolha, e por último, mas não menos importante, tens que permitir que se manifeste a tua escolha.  Só assim podes vir a viver o que sonhas.
Há muitos “tens que” na afirmação anterior, mas é simplesmente porque é esta a forma como a realidade se manifesta. Tu és o Mestre da manifestação da tua realidade. Claro que podes ser um Mestre Vítima, ou um Mestre Cético, ou um Mestre Abusador, ou o que quer que seja, mas continuas ainda assim a ser um Mestre. Por outro lado podes ser um verdadeiro Mestre e reunir o que pensas (acreditas), o que escolhes, o que confias que ocorra, o que dizes e o que fazes numa mesma vibração equilibrada, em que todas as partes não o são – são um todo, sem separação entre a tua escolha (sonho), o teu pensamento (crença), a tua recetividade (permitir em confiança) e a própria manifestação (fazer) de cada momento da tua vida.
Se não se passa isto então nem te dês ao “trabalho” de sonhar, porque estarás a lutar contra o teu sonho com cada afirmação de impossibilidade que proferes e ainda por cima o teu sonho (que é uma parte de ti) estará a gastar uma enorme quantidade de energia a tentar manifestar-se numa realidade não recetiva, e como tal, nunca chegando a manifestar-se.
Não seria magnífico se pudesses cooperar completamente com o desejo do teu coração de viveres em plenitude (o teu sonho) em vez de lutares contra isso?


segunda-feira, 1 de julho de 2013

What matters... PART II

What matters… PART II


“It’s not about what you know, it’s about who you are” is another of my favourite “pills of clarity” like a dear friend of mine says J

What I mean is, knowledge will never be enough until one realizes that it doesn’t really matter how much one knows, just as long as it is related to the life one is choosing to live. There are infinite sources of knowledge throughout the world and though I always say that nothing is impossible, I shall now deliberately contradict myself by saying that it is virtually impossible to know everything about everything and everyone everywhere.

It is not because the knowledge exists that one needs to know it, in the same way that it is not because there are flowers in the garden that one needs to pick them. The marvelous thing is that whenever it becomes necessary for any given reason in one’s life, to know something in particular, it is there, it is available.
What is the point of striving to know more and more other than entertainment? When is what one knows enough?

I shall boldly say that it is always enough, so long as it serves your current reality. And when you choose a new experience that requires other shreds of knowledge, then it will be there to be learnt and used.

In fact, this thirst for knowledge stems from the very issue of lack. While one feels there is something lacking, there is always more to know, more to own, more to do… Once one lets the wisdom of abundance seep through, then one realizes there is actually no lack, there is just the illusion of lack.

Please bare with me for a moment: is there any lack in the infinite abundance of knowledge available nowadays? It is an inexhaustible source, ever present to quench one’s thirst. It’s like the love within… once we fall into it, it overflows permanently!

In a world driven by lack, which in turn has created consumerism at all levels, it sometimes becomes hard to discern selectively. What I mean is, it becomes confusing to choose what serves us and what is just diversion – entertaining energy consumption.

That’s where wisdom kicks in. It is through wisdom that life gains purpose. And it is through purpose that life has meaning. And it is YOU, the real YOU, your ESSENCE, that gives depth to the meaningful purpose of each moment you live. In this resides fulfillment. And when one is fulfilled nothing is lacking. Therefore one uses one’s energy with complete respect, not wasting it on striving for anything, but rather being it all.

So in the same way as it is wise to ask yourself “do I really need this?” before buying something, it is wise to ask yourself “do I really need to know this?” before embarking is yet another knowledge spree.

Do you realize that needing to know more and more keeps the mind so active that it becomes hard to silence? And that this in turn becomes so addictive that it becomes hard to be selective? And that furthermore, the mind consumes enormous amounts of energy in this game?

So the perpetual question is: how much do you love you, how much do you respect you and hence how do you choose to use your energy to create your reality in accordance to that love and respect?

Sometimes my daughter tells me in frustration “but mum, why do I need to learn all of those things they teach me at school? Some things are pointless to me. I can’t see why I need to know them!”

And I do see her point of view, though I have to create a middle term of “it is always interesting to learn new things and to know about the world”… “Yes, but what for now? When and if I need to know it I’ll learn it”, she says. Irrefutable logic.

The point is we have created a world in which knowledge, as wealth, dictate success – seemingly. We have created a whole educational system based on knowledge, where slow learners are stigmatized as non-efficient humans! We have created ADHD by imposing a learning system that doesn’t comply with creative talent. We have created the need for success… actually we have created the need for anything one can think of!

All of this is a delusion of the human ego. But as everything, it is appropriate to the extent of what one wants to experience here on Earth.

In the eve of humanity’s awakening the paradigm of need no longer serves its initial purpose for many of us. It is the antithesis of New Energy, which is derived from the wisdom of homecoming – in other words, from finally arriving HOME, within ourselves, Human and Divine entwined. There is no need or lack in this homecoming process. There is no longer a need to search, just a knowingness that one IS.
So to my awakened human travel companions I say “it is not about what you know, it is about who you ARE”.


Bye bye CV competition ;)