sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Special gift... / Presente especial...

Português e Inglês:

Sugestão simples e significativa para um presente muito especial:
Por vezes é-nos difícil ver o que temos de único e especial, o que brilha mais em nós, mas os outros conseguem com frequência ver isso mesmo com muito mais facilidade. Que tal usar esta evidência de forma criativa?
Escreve o que vês de único e especial, o brilho que vês noutra pessoa, escreve-o com todo o coração, deixando fluir o que realmente sentes que faz dessa pessoa alguém especial na tua vida... aliás, que torna o mundo um lugar mais completo porque ele/ela existe... Este é um presente que não tem preço por ser tão precioso de dar e de receber... e é tão simples!
Fiz isto há dias com uma turma minha de inglês e depois pedi a todos que fizessem o mesmo para os colegas da turma. De início ficaram um pouco perplexos com tal pedido, mas à medida que íam preenchendo post its com o que os colegas tinham de especial, foi-se tornando mais e mais fácil e por fim acabaram por sair mais tarde da aula para poderem acabar e entregar tudo a todos! Amar é simples, mas alguém tem que tomar o primeiro passo  Que tal seres tu?
Para servir de exemplo, aqui ficam algumas das dedicatórias que escrevi, sem nome para não revelar identidades. Isto foi como fiz desta vez, mas tu farás como te fizer sentido a ti.
Tenho feito isto ao longo dos anos não só com alunos como com amigos e familiares e é sempre algo tão bonito de fazer, pois todos trocam pedaços de amor verdadeiro entre si e invariavelmente ficam mais doces, aprendendo a aceitar melhor as diferenças entre si e em si mesmos 
Aqui fica então a minha sugestão simples, para o Natal ou para qualquer outro momento... pois Natal é quando queremos!!! 

***

Simple suggestion for a very significant and special present:
Sometimes we find it hard to see what is unique and special about us, what glows the most in us, but others can often see exactly that very easily. Why not use this evidence in a creative way?
Write down what you see in another person, that is unique and special, what glows in him/her. Write it with your heart, letting flow what you really feel makes that person special in your life... actually, this is what makes the world an even more complete place, just because we are all here. This is a priceless present because it is so precious to give and to receive... and it is so simple to achieve!
I did this a few days ago with an English class of mine and then I asked my students to do the same for their colleagues in class. At first they were a little bit perplexed with my request, but as they started and continued doing it, it became easier and in the end they left the class late just because they didn't want to leave without finishing the notes for everyone!
Loving is simple but someone has to take the first step. It could be you this time 
Here are some of the notes I gave my students, just to serve as an example, but of course you will do it in your own unique way. They have no names in order not to reveal identities 
I have done this throughout the years with my students, friends, family and it is always such a beautiful experience for all. Everyone gets to exchange chunks of real love and this makes us sweeter, learning to accept each other's differences as well as our own.
So here is my suggestion for a simples gift, which can be exchanged either for Christmas or any other time you feel like it, because all in all it can be Christmas whenever one chooses to! 




domingo, 14 de dezembro de 2014

Esperança

Algo que escrevi em 1991, quando o meu pseudónimo era Melissa O'Neil  aqui fica a partilha.

1991
Um dia conheci uma vagabunda. Errava pelo mundo, percorria searas longínquas e dizia-se feliz.
Um dia conheci uma vagabunda. Sabia histórias coloridas e falava sobre a guerra. Dizia que vira a dor, que chorara e sentira amargura.
Não sei quem era. Era alguém, nada mais importa. Falou-me do vento e do mar, da verdura que treme sob a neve, da chuva e do sol. Falou-me da vida.
Não sei de onde vinha. Ria como uma criança, corria e saltava nos caprichos do tempo.
A luz brilhava nos seus olhos e o seu sorriso era doce como as estrelas.
Não sei o que fazia. Murmurava palavras de sonho e magia aos ouvidos dos que procuram sem encontrar. Abraçava o céu e a terra e cantava.
Era ela. Era a esperança. Vinha e ía como o calor, como a tempestade.

Melissa O'Neil (hoje T. C, Aeelah)


Receita

Receita


Hoje não me apetecia cozinhar mas apetecia-me comer algo diferente e delicioso feito por mim ;) Partilho aqui a louca invenção… Desculpa mas não sou de seguir receitas e medidas por isso se quiseres experimentar esta receita parte dela vai mesmo ter que ser feita a olho!! J

Como já não comia carne de vaca há muito utilizei um bife de vitela, mas podes utilizar outra carne, peixe (vai muito bem com salmão por exemplo), ou se és vegetariano/a podes utilizar tofu ou alguma outra fonte de proteína que te agrade.
O bife foi simplesmente passado com um pouco de azeite, alho e sal.
É no acompanhamento que reside a criatividade desta receita.

Ingredientes:

Uma laranja grande
Alguns bagos de romã
Algumas amêndoas cortadas em pedaços ou laminadas
Algumas lascas de raiz de gengibre
Um cubinho de manteiga
Uma pitada de canela

Na mesma frigideira/tacho onde foi frito o bife, ainda com algum alho e suco da carne (ou de outra coisa que tenhas decidido cozinhar com sal), colocar meia laranja cortada em pedaços, os bagos de romã, as amêndoas, as lascas de gengibre e a manteiga. Mexer durante uns 3 minutos. Juntar a canela e o sumo do resto da laranja. Deixar cozinhar mais cerca de 3 minutos. E já está.
O almoço levou-me cerca de 15 minutos a fazer e estava delicioso. Foi acompanhado com uma salada de espinafres frescos, rúcula, alface e tomate, temperada com Pesto e vinagre balsâmico, bem como com uma fatia de pão de cereais.
Bom proveito! J





segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

A Expressão do Ser Expandido


A Expressão do Ser expandido


"Diz um antigo texto de Yoga Vasishta que “o mundo é como uma cidade enorme, reflectida num espelho. Assim também, o universo é uma enorme reflexão do nosso ser na nossa própria consciência”.
Olhemos agora para o mundo actual. Os cientistas sociais afirmam que o nosso comportamento colectivo está a criar um ambiente insustentável devido ao esgotamento das reservas naturais, levando a efeitos devastadores como o efeito de estufa, a mudança dos ciclos climatéricos, com todas as consequências negativas sobejamente conhecidas. Á primeira vista estes eventos diferentes parecem não estar relacionados, mas na realidade estão. Resultam do nosso sentido restringido de Ser colectivo, surgem em sincronia. Os conflitos religiosos, a poluição, o terrorismo, a devastação do solo arável, as centrais nucleares, a toxicodependência, a extinção das espécies, a pobreza, o crime, as guerras, a indústria do armamento, as cheias, a fome, a existência de químicos perigosos na cadeia alimentar, tudo isto está relacionado.
Se cada um nós conseguisse aspirar à expressão do seu Ser expandido, e se pudéssemos partilhar uns com os outros o conhecimento de experiência do nosso Ser expandido, talvez conseguíssemos criar um ambiente baseado no respeito pela vida, restabelecendo o equilíbrio de toda a vida natural. Este ambiente transformado, resultaria por seu turno no co-surgimento simultâneo de eventos que espelhariam um mundo completamente novo. Neste planeta ideal encontraríamos paz de espírito, o senso de sagrado, parcerias económicas e prosperidade, indústrias energéticas eficientes e limpas, uma compreensão científica da nova realidade, um florescimento das artes e da filosofia, e uma verdadeira consciência da nossa unidade. Nesta sociedade entenderíamos com clareza que o amor é a força básica que move o universo."

Excerto de um trabalho intitulado "Programação Positiva" que fiz em 2004 para a cadeira de Psicossociologia no curso de Pós Graduação em Exercício e Saúde. Dez anos volvidos e acredito que SIM, tal como acreditava antes, é isso que me apaixona - Ser a expressão do meu SER expandido.. Será que somos capazes de algo sequer similar a isto, muitos e muitos de nós a expressar o seu Ser expandido?  Aqui fica o convite...

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Ideias

Algo que escrevi em 2006... e como veio de um plano de consciência intemporal, é tão verdade hoje como sempre ;)

Sobre as crianças e a forma como nos desafiam a olhar para as coisas com olhos de ver. Sobre as ideias, a mudança e a realidade:

" (...) Outra questão curiosa que a minha filha me pôs há dias foi “porque é que as pessoas mudam de ideias?”… Ela chegou a esta conclusão com ela própria após alguns meses de luta contra ir para o jardim de infância. Um dia de manhã, como que por magia, começou a querer ir e a gostar de ir.
É, e digam-me lá porque é que as pessoas mudam de ideias? A mudança faz parte de toda a criação, até se pode dizer que é a única realidade que existe. Ser flexível e aprender a flutuar com o fluxo da existência ao invés de esbracejar contra a corrente; é também uma habilidade subvalorizada…mas atente nisto: será que mudamos de ideias depressa demais, ou nem por isso? Escute a sua mente…Quantas ideias viu ou ouviu nestes momentos? Suponho que nem consegue definir ao certo quantas. Mantermo-nos focados é isso ou são as não-ideias, ou seja, não ter ideia nenhuma? E consegue não ter ideia nenhuma? Mas será que não temos demasiadas ideias em marcha ao mesmo tempo? E se são as ideias que criam a nossa realidade então como pode a realidade não ser desordenada? Existem boas e más ideias ou são todas apenas ideias? Como descartar as que não nos servem e guardar apenas as que importam para nós a dado momento?
Deixo estas questões para reflexão…abane as suas ideias!! (...)"

Na altura andava a aprender, a praticar, a experimentar esta e aquela forma de calar o ruído da mente, mas sabia que um dia conseguiria. E agora, em 2014, momento em que consigo realmente desfrutar de muitos e longos momentos sem ter ideia nenhuma, e em que nos outros tenho apenas uma ideia de cada vez, percebo ainda melhor como o vai e vem constante de ideias engarrafadas em caos total influencia tanto a nossa realidade e como a simplicidade do silêncio torna essa mesma magicamente ampla e fluida.

T. C, Aeelah

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

The Kingdom of Knowledge / O reino do Conhecimento

The Kingdom of Knowledge

In a world ruled by knowledge there are two main frames of mind that generate extreme anxiety:
I will never know enough - and you keep on seeking more and more.
I will never know too much - and you keep on seeking more and more. 

What if, instead of that one accepts this:
I will always know what is necessary at each given moment.

Information is permanently available and it finds it way into your reality when you need to know it – if you are focused. When you don’t, the only thing it does is create noise, dispersion, distraction and anxiety.

***

O Reino do Conhecimento

Num mundo gerido pelo conhecimento há duas atitudes principais que geram extrema ansiedade:
Nunca saberei o suficiente – e continuas sempre em busca de mais e mais.
Nunca saberei demasiado – e continuas sempre em busca de mais e mais.

E se, em vez disto, aceitarmos isto:
Saberei sempre o que é necessário a cada momento.

A informação está permanentemente disponível e encontra o seu caminho para a tua realidade quando precisas de sabê-la – se estiveres focado/a. Quando não precisas de sabê-a a única coisa que faz é criar ruído, dispersão, distração e ansiedade.





quarta-feira, 5 de novembro de 2014

An Alien

An Alien


On our path of awakening invariably there are times when we either feel like an alien or are seen as an alien by others. Simply because breaking the mould of mass consciousness means doing things differently, behaving differently, thinking differently… being different, yet being authentic. But then again, aren’t we all different, irrespective of trying to fit into a pre-established frame or deciding to break the mould?
So when placed before the choice between seeming an alien to most, or feeling at home with who I AM, my choice is definitely: “it doesn’t matter what I seem. What matters is who I AM”. Then again, since there are as many worlds as humans, more than enough worlds will be in synch with mine and we can have a celebration of worlds with much joy and champagne. As to the worlds which don’t combine, does it matter?

So love, please be who you are! You’re a precious jewel in an immense treasure chest and without the one you are, the treasure is indeed less than it can be ;)


quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Fazer a diferença /Making the difference

Do you want to do something useful for others, for the Earth?

Each moment of your Silence is a balm for all, a clearing in the forest of noise which constantly involves us.
Each Smile of yours is a ray of sunshine that lights Life up.
Each Present Look is an opening of the heart.
Each heartfelt Hug is a symphony of Pure Love.
Each Soft and Serene touch is a meaningful Pause.
Each Complete and Conscious Breath is a sweet gift of serenity.
Each step taken with respect for the ground you tread is a Creative Gratitude Exchange between you and this magnificent planet.
Each instant you deeply love yourself is reflected in your entire reality... which in turn is intimately connected to the realities of so many other Human Beings, Animals, Plants... with everything. You reflect Love.
Is there greater service than this? There are, surely, other forms of service to Humanity and to the Earth but they are certainly not more or less precious that these simples moments of Isness.
Even when you say nothing, or when it seems you have done nothing... it simply makes all the difference 

***
Queres fazer algo de útil pelos outros, pela Terra?

Cada momento de Silêncio teu é um bálsamo para todos, uma clareira no meio da floresta de ruído que constantemente nos envolve.
Cada Sorriso teu é um sol que ilumina a Vida.
Cada Olhar Presente e Atento é uma abertura do Coração.
Cada Abraço sentido é uma sinfonia de Amor Puro.
Cada Toque Suave e Sereno é uma pausa com Sentido.
Cada Respiração Completa e Consciente é uma doce dádiva de serenidade.
Cada Passo dado com Respeito pelo chão que pisas é uma Troca Criativa de Gratidão entre ti e este magnífico planeta.
Cada instante em que te amas profundamente reflete-se em toda a tua realidade... que está por sua vez intimamente entrelaçada com as realidades de tantos outros Seres Humanos, Animais, Plantas... com Tudo. Refletes Amor.
Há maior serviço que este? Há decerto muitas formas de serviço à Humanidade e à Terra mas não são com toda a certeza mais nem menos preciosas que estas simples formas de Ser.
Mesmo quando não dizes nada, mesmo quando parece que não fizeste nada... tudo isto faz simplesmente toda a diferença 


quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Amor / Love

Amor / Love


O Amor é tão infinitamente simples que não carece de ser compreendido. Sente-se, logo, É. É, aliás, TUDO o que É. O que É sentido apenas carece de ser autorizado.

Autorizado porquê?

Porque sempre que se tenta compreender o que não carece de compreensão complica-se, confunde-se e baralha-se, tapando o que É – o Amor – com uma miríade de distrações e entretenimentos meramente mentais. Isto inibe o sentir.

Permitir o sentir põe em risco a compreensão, logo, põe em risco o julgamento, logo põe em risco o controlo.

Permites-te largar o controlo do que não pode ser controlado e sentir o que ÉS – Amor?

***
Love is so infinitely simple that it does not require understanding. It is felt, therefore it IS. It IS, actually, ALL that IS. Allowing oneself to feel is the only requirement.

Why allowing?

Because whenever one tries to understand what does not require understanding, complexity confounds, covering up what IS – LOVE – with a myriad of merely mental distractions and entertainments. This inhibits feeling.

Allowing oneself to feel is a risk to understanding, thus it is a risk to judgement, thus it is a risk to control.


So, do you allow yourself to let go of the need to control what cannot be controlled and feel who you ARE – LOVE?


segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Breath / Respiração

Breath / Respiração


When you sit in the centre of your breath you realise there is no-thing beyond this timeless void. Then creation bursts forth and you happen in all forms with the same simplicity as you release all forms. The dance of the in-breath with the our-breath is a constant reminder of the formless oneness where all IS THAT IT IS. Ceaseless.

***
Quando te sentas no centro da tua respiração apercebes-te de que não há nada para lá deste vazio intemporal. E eis que a criação se precipita e tu aconteces sob todas as formas com a mesma simplicidade com que largas todas as formas. A dança da inspiração com a expiração é uma lembrança constante da unidade sem forma onde tudo É O QUE É. Incessante.



Referências / References

Referências / References


Quando alguém me pergunta que linha sigo, qual é o meu tipo de coaching tenho sempre dificuldade em responder porque não estou dentro de nenhuma caixa. É o Coaching se SER Autêntico  E como ninguém sabe o que isso é porque ainda não existe, direi simplesmente "fui eu que criei essa linha!"
É engraçado que no geral se espere que tudo derive de alguma referência concreta. E os que criaram algo pela primeira vez? Qual foi a sua referência concreta?
Por isso o meu convite para ti hoje, agora é: vai adiante e sê suficientemente audaz para não necessitar de referência  
www.inpassioncoaching.com
***
When someone asks me what line I follow, what is my kind of coaching, I always find it very difficult to respond, for I am not inside any type of box! It is Authentic Isness Coaching - maybe that's what I should say  And since no one knows wnat that is because it doesn't exist yet, I will simply say "I created it!"
It's a funny thing, but in general people are always expecting some sort of reference. What of those who did things for the first time? What was their reference?
So my invitation to you today, right now is: go ahead and be bold enough to need no reference  



sábado, 4 de outubro de 2014

Os desafios da Vida na Terra

Os desafios da Vida na Terra 


Eu com o cabelo curtinho, a Diva com uns 3 anitos e a amiguita lá ao fundo com a mesma idade  Recordo-me que na altura a Diva desistiu do ballet porque se assustou com a história que queriam representar - do Capuchinho Vermelho - teve muito medo do lobo mau  É interessante observar isso agora, desde uma perspetiva mais isenta e madura. De facto por vezes tendemos a tomar ligeiramente essas figuras dos contos infantis, mas elas representam partes bem pertinentes da sociedade e da personalidade e são precisamente essas partes, que fruto do processo de crescimento, vão criando bloqueios traumáticos, por vezes bem subtis e inibindo a respiração completa. A Terra é, sim, um planeta magnífico. Os Humanos são, sim, companheiros de viagem magníficos. Mas esta é, sem dúvida, uma viagem por vezes bem dolorosa e desconfortável dada a densidade emocional e mental que circula na atmosfera comum. Respirar em Presença tem sido, para mim, a forma mais eficaz de saber discernir entre o que sinto que é meu e o que não é e de libertar as densidades alheias que atravessam o meu corpo. Quando nos abrimos para o sentir e removemos as armaduras, ficamos como que transparentes e tudo pode passar através de nós, sem permanecer. Deixa de ser necessário protegermo-nos pois somos um com tudo. No entanto o corpo físico passa por adaptações por vezes bastante desconfortáveis. É preciso saber aceitá-las e reconhecê-las como parte da Vida na Terra - encarando o desconforto de forma neutra, nem mau, nem bom. E gradualmente, à medida que o corpo se vai tornando mais e mais subtil, em comunhão com o Ser, vamos respirando com todos os poros de forma consciente, sabendo que são as portas fechadas impedem o fluxo natural da Vida em nós e através de nós. E uma vez abertas não há mais propósito em fechá-las. Deixamos de ser um acervo de barragens e diques e passamos a ser um rio irrestrito de Ser. Tudo se torna intenso, absolutamente tudo. A Vida é, na sua Essência, intensa e quando Vivos, assim somos nós. O corpo precisa de tempo, paciência e muito Amor para se ir adaptando às novas intensidades de Ser na Terra.
Neste mês de Outubro, início de Outono, época que desafia todos a olhar para dentro e a permanecer em silêncio, transitando do agir para o ficar e regenerar para criar e depois agir de novo, o bálsamo é simplesmente RESPIRAR, em quietude, no meio da tempestade de energias dissonantes à nossa volta, sabendo que tudo está bem em toda a criação, mesmo o que se julga contrário ao ideal. Sem abanar as estruturas que não servem mais, permitindo que ruam, não há mudança, logo, não há evolução. Tudo faz parte do eterno ciclo de morte e renascimento tal como a inspiração e a expiração. Em simbiose.

Abraço com Amor
T.C. Aeelah


terça-feira, 30 de setembro de 2014

Amo-vos / I love you

AMO-VOS ♥/ I LOVE YOU 



Todos os dias são especiais e únicos para mim. Quando o dia se inicia nunca tenho certezas absolutas sobre como o dia se vai desenrolar, apenas tenho os traços gerais... que muitas vezes se transformam a um ritmo estonteante  momento a momento, é como vivo, sempre. Ontem foi mais um dia especial, um de muitos mas com a particularidade de ser a celebração do dia em que respirei o meu primeiro fôlego. Vivi-o sem planos, como de costume e fui surpreendida com tanto amor, tantas bênçãos, tanto tanto tanto que me senti como se a Vida simplesmente me tivesse pegado ao colo, qual onda gigante e levado numa prancha de surf por mares de infinito carinho, gratidão, alegria, enfim, uma onda mágica. E todos vós criaram essa onda. Tive oportunidade de agradecer-vos a todos, um a um, o que para mim é muito importante pois cada um de vós é muito especial. Aqui fica mais uma vez a minha Gratidão e o convite para continuarmos a celebrar todos os dias, tratando-os de forma especial pois cada dia merece-nos por inteiro, como a VIDA. I LOVE YOUUUU! 

***

Each day is special and unique to me. When the day begins I am never completely sure about how it will unfold, I just have a few general plans... which very often change at a mind blowing rate  moment to moment is how I live, always. Yesterday was another special day, one of many, nevertheless with the particular difference that I was celebrating the day when I chose to take my first breath quite a few years ago  I lived it without plans, as usual and I was surprised with so much love, so many blessings, so so much that I felt like Life had simply grabbed me in its arms like a gigantic wave and taken me on a surfboard, through seas of infinite tenderness, gratitude, joy, a truly magic wave. And all of you created this wave together. I had the opportunity to thank each one individually, which is of utmost importance for each one of you is very special to me. Once again I send you my Gratitude and I invite you to continue celebrating with me every day, treating each day as a special one - EACH DAY DESERVES THE WHOLE OF US, JUST LIKE LIFE. I LOVE YOUUUUU! 

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

O primeiro dia do meu Ano Novo

O primeiro dia do meu Ano Novo


Costumo dar cartões de Feliz Natal e Ano Novo aos meus amigos quando fazem anos pelo simples motivo que este é o dia do nascimento de alguém muito especial, pois cada um que nasce neste magnífico planeta faz a diferença e o nosso novo ano pessoal começa com o nosso aniversário. E para mim é mesmo Natal. É Natal por todo o amor redobrado quer em votos de abundante felicidade, amor, alegria, paz... quer em mimos de toda a natureza (materiais e imateriais). Por isso estou plenamente grata a todos vós, amados amigos, mesmo que saibam apenas porque agora existe esta janela mágica que é o facebook e existem os alertas nos smartphones e tal e tal. Seja como for, seja por que motivo te lembraste de me enviar as tuas bênçãos, guardo-as com muito carinho no meu coração e sabe que elas fazem a diferença e me tornam ainda mais rica 
Por outro lado partilho contigo uma curiosidade. Tanto no ano passado como este, o fim de semana do meu aniversário foi todo ele passado em festa. O ano passado na Disneyland de Paris, este ano aqui mesmo em Tomar, mas invariavelmente em família (considero todos os que amo e que me amam como família - tendo laços de sangue ou não) e em celebração. E isso é tão especial e significativo para ti. É a forma como me espelho na vida e como ela se espelha em mim. É especial partilhar alegria pura com tanta gente bonita. É especial estar viva neste momento na Terra. É especial todo o amor que dou e recebo. É especial SER, ESTAR, VIVER! Por isso, neste meu dia de Ano Novo partilho bênçãos infinitas com todos vós pois tenho aqui bênçãos de sobra que dão para todos e ainda para os que nem sabem que as estão a receber!!! hehehehehe
Iupiiiiii! Happy Birthday to me  with you!!!!  Um graaande beijo e um mega sorriso para todos vós com total gratidão



domingo, 28 de setembro de 2014

A magia de pedalar à chuva!

A magia de pedalar à chuva! 

Hoje a minha filha desafiou-me a ir dar uma volta de bicicleta, desafio que eu finalmente aceitei ao fim de inúmeras propostas adiadas. Há muuuuuuuuuito tempo, mas mesmo muuuuuuuuuito tempo que não andava de bicicleta... ainda que adore. Mas adoro tantas coisas na vida que é fisicamente impossível fazê-las todas!!! hehehhee 

Lá fomos nós. Eu não muito firme, ainda  mas muito feliz, isso sim. Adoro sentir o vento a passar-me pelos poros, a liberdade de não ter paredes à minha volta. 

Passados uns meros minutos eis que começa a pingar. E mais. E mais ainda. E mais. E tão forte que a chuva batia na pele como se quisesse penetrá-la. No chão. Escorrendo. Que maravilha!!!! O cheiro a terra molhada. Ambas apreciando o momento. A intensidade dos aromas verdes e florais. O som da água. O brilho do alcatrão. 
"Olha mãe, um arco-íris!" Que alegria  A chuva cálida e um arco-íris e o vento ligeiro e os aromas intensos... uma verdadeira orquestra para os sentidos e ambas brincando, livres, em sintonia uma com a outra, em sintonia com a Vida.

Grata. Transbordante de gratidão é como me sinto. A Natureza tem uma forma tão especial de nos dar as boas vindas e presentear com a sua abundante beleza. Obrigada Diva, pelo precioso convite.
Convido-vos a apreciar cada gota de chuva, completando o ciclo permanente de reunião entre o Céu e a Terra  Simples.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Equinócio dentro e fora /Equinox inside and out

 Equinócio dentro e fora / Equinox inside and out


A Vida flutua em ondas sucessivas que combinam momentos de intensa criatividade com momentos de serena solitude. As estações do ano são um reflexo mútuo de fora para dentro - de dentro para fora. Saberás respeitar o teu Outono e mergulhar fundo no teu oceano para acertar os pratos da Balança e alimentar a chama interna para o momento do fogo apaixonado de Ser a expressão plena de ti fora como dentro?
A Terra reflete-te como tu a ela. Respeita os seus ritmos como os teus... 

***
Life floats in permanent waves that combine moments of intense creativity with moments of serene solitude. The Seasons are a mutual reflexion from the outside towards the inside - from the inside towards the outside. Shall you know how to respect your Autumn and dive into the bottom of your ocean to balance your scales and feed the inner flame so that when the time comes to light the passionate fire of Isness it can express you fully in your outer world as it is within?
Earth reflects you as you reflect Her. Respect its rhythms as your own... <3


segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Desafio

Desafio


Agora que estamos em onda de desafios o desafio que lanço é: AMA. Ama incondicionalmente. Abrir o coração e mantê-lo aberto é, sem sombra de dúvidas, o maior desafio de todo o Ser Humano. Amar sem esperar ser amado, amar sem ter medo de sofrer, amar sem julgar, saber calar e assistir em compaixão às escolhas de cada um, por mais absurdas que pareçam, respeitando a teimosia amnésica sem interferir, nem sequer nos momentos de dor e sofrimento a não ser quando solicitados, amar tudo sem manter nada guardado para mais tarde, amar sem ficar preso a memórias boas ou más, amar, amar, amar sempre, agora mesmo e expressá-lo de todas as formas possíveis, mesmo no nosso silêncio, em serena compaixão. Isso sim é um desafio. Isso sim requer coragem. Mais coragem que tudo. Isso é a vulnerabilidade total sem possibilidade de controlo pois o Amor não é da Mente, é do Coração. A Mente pensa que sabe Amar, mas apenas sabe gerir e controlar o que lhe parece ser Amor. O Coração, esse, não precisa de gerir ou controlar nada, apenas precisa que o deixem livre, sem portas a trancar a entrada nem a saída, para que o Amor possa fluir, simples e livre como é. Desafio-vos, caros amigos e amigas, a arriscar AMAR e EXPRESSAR  



quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Life IN... Passion

Life IN…Passion

Sitting in this hidden garden I am embraced by the blessed Peace that my inner smile reflects. The lush green leaves whisper songs of bliss. The soft warm grass holds the sunlight as the wind dances across the meadows. Black stone slabs decorate the endless rolling hills all around me. Tapping the keyboard I simply let my fingers express the placid stillness that fills my heart, yet so intense with passionate gratitude.
If there were words to describe this last week, the whole InPassion Com…Passion Workshop experience and beyond, I would use them. Nevertheless, I cannot find a way to express the abundant magnitude of this whole gift. All I can define would fall short of the complete fulfilment I have been graced with day after day, moment after moment. I AM…
Thus, I share some photos and my heartbeat… in love that shall suffice 
***
Sentada neste jardim escondido sou abraçada pela Paz abençoada que o meu sorriso interno reflete. As verdes folhas sussurram melodias de encanto no seu restolhar luxuriante. A erva macia e quente segura a luz do sol, enquanto o vento dança pelos prados. Negras pedras decoram os montes roliços a perder de vista. Tocando no teclado deixo simplesmente que os meus dedos expressem a plácida serenidade que preenche o meu coração, ainda que transbordante de apaixonada gratidão.
Se houvera palavras para descrever esta última semana, toda a experiência vivencial do wrokshop InPassion Com…Paixão, usá-las-ia. Não obstante, não me apraz encontrar uma forma para expressar a magnitude abundante de toda esta dádiva. Tudo o que possa começar por definir ficaria aquém da completude que me tem agraciado dia após dia, momento após momento. EU SOU…
Eis que partilho algumas fotos e o bater do meu coração… em amor a si e em si se bastarão 











mais fotos em/ more photos at www.facebook.com/inspiring.you.18

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Educação - As 11 escolas mais incríveis do mundo

Muitos ainda têm dúvidas que seja possível mudar o sistema de ensino de uma forma global... Eu vejo isso como uma certeza pois dadas as circunstâncias atuais do sistema de ensino instituído, não há outro caminho senão a mudança, felizmente. Poderá levar largos anos, admito, mas aqui está a prova de que é possível, e não só possível como eficaz!!!!!! Afinal as escolas não têm que ser fábricas de conhecimento pois nós não somos robôs! As escolas podem e devem ser lugares sãos e seguros onde a criatividade de todos é estimulada por forma a que cada um saiba o quão especial e único é e assim possa contribuir de forma ativa e produtiva para um mundo verdadeiramente melhor.  E já agora para quem não sabe: é possível em Portugal criar através da implementação do ensino doméstico, novas formas de ensino para grupos não muito numerosos e de forma bem simples. Lanço o desafio a quem sente que quer realmente mover as rodas desta mudança inevitável a arregaçar as mangas e a deitar mãos à obra. Não é preciso esperar que alguém faça! Se queres ver a mudança, cria-a. Eu de momento tenho outros projetos em mãos que também trazem mudança a todos os níveis e em todas as faixas etárias do Ser Humano, por isso não me dedico para já à criação de algo assim em termos de escola, ainda que tenha criado muitas propostas de inovação e mudança quer no ensino, quer na aprendizagem, quer na educação em geral (ver mais em www.institutolindaschool.com - no botão Totally English e Focus School bem como em www.inpassioncoaching.com). Muitos projetos me apaixonam profundamente, mas também sei que não posso implementá-los a todos ao mesmo tempo pois a dispersão é inimiga do sucesso, por isso, por agora o meu foco são estes projetos. Vá lá amigos... toca a criar mudança nas estruturas de base da sociedade que dizem querer ver mudar ;) <3... mas mudem primeiro o que querem ver mudar em vós mesmos <3 O governo pouco importa quando se trata de viver realmente! O que importa és TU e quem TU és, quando vives desde o teu coração e deixas que o teu jardim floresça, é que traz sorrisos aos rostos e alegria aos corações!!!!!!!!! :*


T. C. Aeelah

As 11 escolas mais incríveis do mundo: http://hypescience.com/escolas-mais-incriveis-do-mundo/



segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Brincar às escondidas...

Não, nós não temos um SER, nós somos um SER! Um SER experienciando a matéria, quer nas suas limitações, quer na sua transcendência. Mas para experienciar a matéria em corpo Humano e viver essa "realidade" intensamente, foi necessário esquecermo-nos de SER. Não houve nenhum engano, apenas uma amnésia voluntária mas com risco calculado ;) É que sempre soubemos, mesmo quando não "sabíamos", que um dia nos íamos lembrar, que um dia algum dos outros SERes com quem SOMOS nos ía despertar uma curiosidade tão forte, tão inevitável que nos lembraríamos. Ainda assim esta brincadeira de não SER tem sido tão emocionante que frequentemente, mesmo quando já nos lembrámos momentaneamente de quem SOMOS, tendemos a querer esquecer de novo. Mas não é possível neste momento da história da TERRA viver com um pé no SER e outro no não SER ;) ou ÉS de vez, ou continuas fingindo não SER!!! hehehe Não há nada de grave nisto... mas dói que se farta, esta giga joga de andar com um pé aqui e outro ali. Dói mais que quando se estava em amnésia total porque quando sabes não podes voltar a não saber e quando começas a sentir porque sabes não podes confortavelmente fingir que não sentes porque o não sentir passa a ser doloroso. E é assim! Quando acordas do longo sono do Pequeno Eu Humano, ou acordas aos poucos e com muito drama e dor à mistura, com a teimosia própria da condição humana, ou acordas suavemente, de forma simples e segura, em confiança e entrega a QUEM ÉS. A questão é que os aspetos da personalidade (também designados de ego ou mente) não vão querer desaparecer instantaneamente por se acharem necessários! Ao fim e ao cabo foi por serem necessário para viver no estado de Pequeno Eu Humano que foram criados ;) Vão precisar de ver que realmente não são mais necessários porque afinal de contas SER é tudo e nada mais é necessário - e tu é que vais ter que mostrar isso na prática. Vão fazer imenso ruído estes aspetos, e vão tentar distrair-te de inúmeras formas absolutamente criativas e sedutoras, e vão puxar-te e empurrar-te e desafiar-te até à mais ínfima fibra a mostrares que agora a escolha é mesmo apenas e simplesmente SEEEEEEEEEEEEEEEEER! E isto não ocorre de um dia para o outro. Requer da tua parte completa, absoluta e inabalável determinação e confiança total na voz do teu coração (por outras palavras do teu SER). Seja como for, e apesar de todos os desafios, mais tarde ou mais cedo, agora ou daqui a mil anos (ou mais!!! :) ) todos invariavelmente se recordam de quem SÃO porque o propósito de andar aqui na Terra não é, nem nunca foi, não SER ad eternum. Muito pelo contrário. E poderia continuar e continuar porque o tema tem pano para mangas. Digo apenas, para todos os que já tiveram momentos de despertar e se recordaram de que não são o que parecem ser (apenas um pequeno humano) que não há nada, mas mesmo nada que se compare a viver em plenitude e por isso vale todos os tropeções e as incertezas ao longo do caminho, vale todos os desafios e vale todo o teu empenho. E mesmo que pareça, não há engano possível. Quando decides SER e não permites que a consciência de massas te demova desse teu propósito, não há engano possível. Por isso amado Anjo Humano, por favor ouve o teu coração e confia que é a tua verdade maior que ele fala, mesmo quando as restantes "ovelhas" estão a ir no sentido oposto e mesmo quando te parece que vais perder tudo! Essa perda é precisamente o teu maior ganho... e agora vou brincar a SER no trabalho! hehehe

T. C. Aeelah
http://inpassionpublications.blogspot.com
www.inpassioncoaching.com

terça-feira, 26 de agosto de 2014

Reflections / Reflexões

Reflections / Reflexões


Sunday in August, the peak of Summer season, just about 3 km from one of the most crowded beaches in the Algarve (South of Portugal) and I am alone. Blessed to be ALL ONE.
I playfully tell my friends they needn’t ask me how I am because the answer shall always be varying shades of wonderful! Not that I am alienated into an oblivious silliness that shuts down what mass consciousness calls reality. No. I have taken my time to dive into that. Years of time. Now I can honestly say I feel great simply because I do. I have created my own reality and am living it fully and intensely. And as a result I have just received this precious gift of a whole beach just for me. Yet again one of those moments when nothing else matters. This complete HERE and NOW – perfect manifestation.

***
Domingo em Agosto, no pico da época de Verão, a apenas 3 km de uma das praias mais populosas do Algarve e estou sozinha. Abençoada por estar em solitude.

Digo em tom de brincadeira aos meus amigos que escusam de me perguntar como estou porque a resposta será sempre tons variados de maravilhosa! Não é que viva alienada num torpor tolo que fecha o que a consciência de massas chama de realidade. Não. Tomei o meu tempo para mergulhar nisso tudo. Anos de tempo. Agora posso honestamente dizer que me sinto fantástica simplesmente porque é verdade. Criei a minha própria realidade e vivo-a plena e intensamente. E como resultado disso acabo de receber esta dádiva preciosa de uma praia inteira só para mim. Mais um daqueles momentos em que nada mais importa. Este completo AQUI e AGORA – manifestação perfeita. 


Once upon a time...

Once upon a time...


Once upon a time I invited myself:

What if I stopped shading you, shading me, with my judgment?

The world changed, life changed, everything changed at that very same moment. And now all simply IS.

Would you like to try?



terça-feira, 19 de agosto de 2014

Body / Corpo

Body / Corpo


Your body is a Temple where the Human makes love to the Divine, blending in this sacred union called LIFE.
Would you please stop judging it and comparing it to everyone else’s Temple? Grateful to have it, to be in it, to live it, in the deepest love and respect?
Just for one breath… and then another… and another… one breath at a time… expanding… NOW.
***
O teu corpo é um Templo onde o Humano faz amor com o Divino, fundindo-se nesta união sagrada chamada VIDA.
Podes por favor parar de julga-lo e compará-lo ao Templo de todos os outros? Em Gratidão por tê-lo, por estar dentro dele, por vivê-lo, com o máximo amor e respeito?

Apenas por uma respiração… e depois mais uma… e mais uma… uma respiração de cada vez… expandindo… AGORA.

segunda-feira, 4 de agosto de 2014

Diva to the rescue!

Diva to the rescue!


O dia em que a Diva salvou um papagaio da morte por afogamento :P

Ontem foi um dia profícuo em eventos cómicos. Este foi mais um desses eventos J

Estávamos nós sentados de frente para o mar, depois de um belo banho gelado (a água está gelada!!!! Ahhhgrrr) quando vimos um chapéu de sol a fazer-se ao mar, rebolando, rebolando e rebolando pela superfície. Ninguém se moveu para o ir buscar. A Diva profere “se fosse mais perto ía lá busca-lo. Mas será que ninguém se importa?”. Deduzimos que os donos do dito chapéu deviam andar algures por longe, a passear na praia. Após alguns minutos o chapéu acabou por naufragar, qual Titanic. Imaginámos a cara de espanto dos seus proprietários, quando chegassem ao seu poiso e dessem pela falta do chapéu, que não deixou rasto que fizesse adivinhar a sua triste sorte ;)

Enfim, adiante.

O Samuel gosta de papagaios. Tanto que acabámos por comprar mais um… Tem uns quantos, não se sabe é onde!

Ontem estava uma tarde particularmente ventosa. A Diva decidiu então dar uns toques no papagaio, para o ver flutuar bem alto. E assim foi. Só que de repente… upssss… lá se vai a pega do papagaio e eis que aterra: no MAR!!! A Diva grita para o irmão que vai a correr atrás do papagaio “apanha a pega, apanha a pega” mas ele não via a pega, só o papagaio. Ela atira os fones e o telemóvel para a toalha e mesmo mesmo à moda das Marés Vivas aí vai ela, rápida e segura, numa importante missão de salvamento! Devo dizer-vos que nunca a vi correr tão rápido! Nem nadar! Parecia mesmo mesmo uma nadadora salvadora! Hehehe E lá impediu o afogamento do papagaio. Ufa! Foi tudo tão rápido que não tive tempo para filmar, mas era digno de mandar para o “Isto só video” (não sei como se chama o programa agora, mas é aquele dos vídeos engraçados).

Cá para mim a Diva ficou com aquela vontade ardente de salvar o chapéu de sol, arrependida de não o ter feito e pimba! Lá arranjou outra operação de salvamento à altura de uma verdadeira heroína J

Foi uma risota pegada pela praia fora! E fica gravado eternamente na memória este caricato episódio ;)

O papagaio, são e salvo, voou de novo pelos ares… para se secar, sorrindo, colorido! hehehehe








terça-feira, 29 de julho de 2014

Graceful Sensuality


 Graceful Sensuality


Today, as I was walking along the deserted beach enjoying the glowing windblown sunset, I was embraced by the all encompassing graceful sensuality of this landscape.

My feet kissing the sand with each step, my body blending with the sound of the waves, rolling softly into the earth in a continuous lovemaking spiral, the seagulls landing and then taking off, wings spread wide and easy on the Summer breeze. The sweet scent of the dunes playing with my senses.

Much more than what my eyes could perceive was the immense beauty of the whole, the feeling of timeless no-thing-ness, a celular orgasm from head to toe.

Life is indeed abundantly fulfilling in its utter simplicity.

In Gratitude I breathe.

This is forever, and though I cannot sit in this same place but for a few endless moments, I can live this fulfilment wherever I choose to stand, sit or lie for I Am it.


Meanwhile I share this sunset with my heartbeat… and a few photos. I offer it to you in honour of your Presence on this same wide Earth of many sunsets where we both live. 






Encontrar-me-ás

Encontrar-me-ás

Encontrar-me-ás lá, onde o vento me atravessa os poros e eu me dissipo, voando na transparência do sol que ilumina a minha pele dourada.

Encontrar-me-ás lá, onde o aroma doce de flores se mistura com o rolar das dunas, envolvendo o mar num manto suave.

Encontrar-me-ás lá, onde o vazio se funde com o pleno e talvez me perguntes Porquê?... Como?... Quando?... mas eu não te saberei responder pois todas as minhas perguntas se diluíram no lago límpido da minha entrega. Confiante, nada saberei e tudo serei… Sou.

Encontrar-me-ás lá, onde o silêncio abraça a areia e o azul, onde a paixão serena dança com o fogo da vida.

E soprar-te-ei um beijo de boas vindas, abraçar-te-ei com o meu olhar sabendo que estás onde te vejo, nem aqui, nem ali, mas em toda a parte onde o Divino toca a Terra.