segunda-feira, 30 de junho de 2014

Corpo Aliyah / Aliyah Body

Corpo Aliyah / Aliyah Body

This is my Aliyah body (private joke, only for those who know what Aliyah is! ;) ) – absolutely enjoying the Sun and the Sea and the Sand and the Wind, Alive, in Love with all of it!
Exercise: only what I love, when I love it
Food: only what I love, when I love it
Sex: only with love, never out of need or lack, always in profound reverence for this Sacred Energy Exchange of magnificent proportions
Charts and graphics: oooops! Don’t fit into those!
No rules, have tos, musts and no shame or guilt either! Good riddance J
The only “requirement”: loving every single inch of this magnificent body that has housed me for so very very long, through thick and thin, in deep respect and gratitude.

***
Este é o meu corpo Aliyah (private joke só para os que sabem o que é Aliyah ;) ) – desfrutando absolutamente do Sol e do Mar e da Areia e do Vento, Viva, Apaixonada por tudo!
Exercício: só o que amo, quando amo
Comida: só o que amo, quando amo
Sexo: sempre com amor, nunca por falta ou necessidade, sempre em profunda reverência por esta Troca Sagrada de Energia de magníficas proporções
Tabelas e Gráficos: ups! Não me enquadro em nenhum deles!
Sem regras, sem obrigações, sem parâmetros e sem vergonha nem culpa! Enfim livre disso J
O único “requisito”: amar cada milímetro deste corpo magnífico que tem sido a minha casa há tanto tanto tempo, nos bons e nos maus momentos, em completo respeito e gratidão.




quinta-feira, 26 de junho de 2014

Fácil... ou...? / Easy... or...?

Which part of you believes that if things are (too) easy life isn't "fun"/"exciting? Do you then complain that life is (too) hard???  What do you want after all? Do you want Life to serve your simplicity or your hardship? 
***
Qual é a parte de ti que acredita que se as coisas forem fáceis (demais) a vida não é "divertida"/excitante? E depois queixas-te que a vida é (demasiado) difícil?  Afinal o que é que queres mesmo??? Queres que a Vida sirva a tua simplicidade ou a tua complicação? 
T. C. Aeelah


terça-feira, 24 de junho de 2014

Céu de Fogo, Terra e Mar

Céu de Fogo, Terra e Mar
 

Deitada no colo dourado da areia cálida, absorvo o céu estrelado, raiado de nuvens suaves. As chamas intensas da fogueira envolvem-me. As ondas do mar tocam em sintonia com o violino que ecoa das colunas, deixadas algures numa toalha perdida neste etéreo embalo. O som do riso, o silêncio das mentes, o amor dos corações à minha volta, tudo me preenche de um êxtase indescritível. As lágrimas banham-me o rosto com a Alegria incontida da Plenitude. Abundância total na noite brilhante em que a Luz e a Sombra bailam, fundindo-se em compaixão, com…paixão.
Momentos. Infinitos momentos em que Tudo e Nada se contemplam e completam no sopro da Vida. Uma respiração de cada vez.

Levanto-me, ébria de Ser e corro para o mar. As ondas correm ao meu encontro, brancos véus na noite estrelada. E ficamos ali… amando-nos… O horizonte eterno e eu, absoltos na simplicidade da Paixão que nos une.

Alguém chama por mim. Olho para trás. As brasas da fogueira incandescente ardem. Despeço-me do oceano… “até amanhã meu amor”. E seguimos, juntos, em festa divina, neste corpo humano que em gratidão nos une e nos permite descobrir, brincar, amar, ser.

Grata anjos lindos, por escolherem Ser Aqui comigo, o Agora de Tudo o que São.


And so it is ;) <3





quinta-feira, 19 de junho de 2014

Clarity / Clareza

Clarity… / Clareza


The only place where you will find everlasting “success” is within you, in the arms of your Essence, because it is the only place where you don’t need it!
The only way you will find permanent abundance is within you, in the arms of your Essence, because it is the only creative source that has all you could ever need or wish for.
The only voice that will show you true love is your heart’s voice, that’s the only language it speaks. Your mind, however, will find fantastic ways to create an illusion of Love, which is in turn an entertaining source of constant drama.
The only true joy you will ever experience bubbles from the core of your soul, it depends on nothing and it never ceases to BE. The mind, however, will find fantastic ways to create instances of happiness which seem to be real, yet fade as fast as they appear.
The only HOME to Balance (and in this al lis includes, be it health, prosperity, harmony, joy, freedom, success, serenity, silence, love… etc) is deep within your centre. That is the only place where you LIVE. Everything else are illusionary tricks you have become accustomed to performing in order to experience the opposite of who you ARE J
This is why all is well in all of creation, all ways, always.
Any and all of your experiences depend on this, and only this:
Are you choosing to choose or not choosing at all?
When you are choosing to choose – do you choose to BE or not to be?
… in other words, who has the final word? Your Heart or your Mind?

P.S.- Not the mind’s simulation of Heart… your True Heart, the core of Who YOU ARE – your Essence!

***

O único lugar onde encontrarás “sucesso” eterno é em ti, nos braços da tua Essência, porque é o único lugar onde não precisas de sucesso!
A única forma de encontrares abundância permanente é em ti, nos braços da tua Essência, porque é a única fonte criativa que contém tudo o que poderias precisar ou desejar.
A única voz que te mostrará o amor verdadeiro, é a voz do teu coração, é a única linguagem que o coração fala! A tua mente, no entanto, encontrará formas fantásticas para criar uma ilusão de amor, que é simultaneamente um entretenimento constante nos palcos do drama.
A única verdadeira Alegria que poderás experienciar é a que borbulha do cerne da tua Alma. Não depende de nada e nunca cessa. A mente, no entanto, encontrará formas fantásticas de criar instantes de felicidade que parecem ser reais, mas que no entanto se dissipam tão rápido quanto apareceram.
O único LAR do Equilíbrio (e nisto inclui-se tudo, ou seja, a saúde, a prosperidade, a serenidade, a harmonia, a alegria, a liberdade, o sucesso, o silêncio, o amor, etc) é profundamente no teu centro. Esse é o único lugar onde VIVES. Tudo o resto são malabarismos ilusórios que te acostumaste a engendrar para experienciares o oposto de Quem ÉS.
É por isso que tudo está bem com toda a criação, em toda a parte, de todas as formas.
Todas as tuas experiências derivam disto, e apenas disto:
Escolhes escolher ou não escolhes nada?
Quando escolhes escolher, escolhes SER ou não ser?
… por outras palavras, quem tem a palavra final? O teu Coração ou a tua Mente?

P.S. – Não a simulação de Coração que a Mente cria… o teu Coração Verdadeiro, o âmago de Quem ÉS – a tua Essência!





All is well... / Tudo está bem...

Tudo está bem… / All is well…


All is well in all of creation, all ways, always.
Any and all of your experiences depend on this, and only this:
Are you choosing to choose or not choosing at all?
When you are choosing to choose – do you choose to BE or not to be?
… in other words, who has the final word? Your Heart or your Mind?

P.S.- Not the mind’s simulation of Heart… your True Heart, the core of Who YOU ARE – your Essence!
***

Tudo está bem com toda a criação, em toda a parte, de todas as formas.
Todas as tuas experiências derivam disto, e apenas disto:
Escolhes escolher ou não escolhes nada?
Quando escolhes escolher, escolhes SER ou não ser?
… por outras palavras, quem tem a palavra final? O teu Coração ou a tua Mente?


P.S. – Não a simulação de Coração que a Mente cria… o teu Coração Verdadeiro, o âmago de Quem ÉS – a tua Essência!


quarta-feira, 18 de junho de 2014

Awareness / Consciência

Awareness / Consciência


I am a menace to who you think you are and to what you think you want, yet I am solace to your heart’s stillness.
I am Home to your everlasting Presence.

***
Sou uma ameaça a quem pensas que és e ao que pensas que queres… no entanto, sou plenitude para a quietude do teu coração.

Sou o Lar da tua eterna Presença. 



segunda-feira, 16 de junho de 2014

The Essential Opposites / Os Opostos Essenciais

The essential opposites:


Either you are on one side or on the other – there is no in-between

Thinking Happiness                        Feeling Joy
Thinking Love                               Being Love
Seeking Prosperity                         Being Abundant
Ambition                                       Isness
Striving for more later                    Being it all now
Aims                                             NOW
Ups & Downs                                Balance
Seeking                                          Presence
Holding on                                     Letting go

Fear                                               Flow

***

Os Opostos Essenciais:


Pensar Felicidade                         Sentir Alegria
Pensar Amor                               Ser Amor
Buscar Prosperidade                     Ser Abundante
Ambição                                      Ser
Tentar alcançar mais depois           Ser tudo Agora
Objetivos                                     AGORA
Altos e Baixos                              Equilíbrio
Buscar                                         Presença
Agarrar                                        Deixar ir
Medo                                           Fluxo

domingo, 15 de junho de 2014

Infinity

How do you choose to honour your infinity in this unique now moment?

***
Como escolhes honrar a tua infinitude neste momento único do agora?

T. C. Aeelah

sábado, 14 de junho de 2014

Beyond

Beyond


Some time ago I was asked to participate with an entry to a collective book about healthy practices in pregnancy. This book had entries by several academic authorities. I am not an academic authority as such but since I had something new to contribute the author invited me to add my part.

My part was about Conscious Breath and how to use it in order to enhance the experience of pregnancy, connecting with the baby, both physical and non-physical, the whole body as well as with the father, in order to create harmony and balance and enjoy this experience of motherhood in complete grace. The mishap was that I needed to include references from other academic authors in my entry. Now how can one include references from academic authors about something that is new and only now being written??? Needless to say that in the end I decided not to participate in the project.

Time and again I have come across this barrier of reference, academic or scientific background, proof, the question being: who did you learn it from – where did it come from? Well, what if it came from somewhere that cannot be referenced??? What if I am a pioneer in the way I do certain things and present my work to the world? How can I reference that?

InPassion Coaching is not regular coaching. My Integration Sessions are not regular anything. The way I constellate using the Essence as a balancing ground for it all to happen is not regular. Many of the exercises I use in my workshops are not regular either. In fact, I have no idea about most of them until the actual moment in which they come to my consciousness for me to use at that moment – and then I never use them again because I don’t need to remember them, there are always more new ones! Many of the things I write in my books are as new for you as they are for me. I had no idea about them until the very moment they spill onto the page. And I could go on and on giving examples.

Where does it all come from? It comes from the unique combination of expanded consciousness’ creative expression, which drinks from the Source of All There Is and accesses parts and pieces here and there. These combined in a new way form something new.

And why does this happen? Because I let it! I get out of the way. I don’t try and figure things out. I don’t try and pre-define how I am going to do things. I don’t expect any specific outcomes and above all I don’t need to control anything. My aim is the same as the starting point, which is the same as the path and the same as I AM: to BE the constant expression of the Passion of Isness. When I chose this I chose it from the core of my Being and I sure enough had no idea about what it really meant, let alone how to do it… how to BE it. All I had to do was surrender totally. Let go of everything. So I am learning all the time, breath by breath. And there are no books in which I can look it up, because it is unique unto me, unto the particular combination of all of my life experiences throughout my endless comings and goings here on Earth and before it ever even existed! The unique combination of my Human with my Divine, which in turn is connected with every other Human and their Divine, and THE DIVINE everywhere. There wouldn’t be enough data storage units to comprise all of this! And it isn’t necessary either. My Isness creates in the moment. Then it lets go to leave space for life to keep on happening in a constant flow of Isness.

The amazing thing is that this is possible for everyone, though not everyone will choose to do so in this lifetime. I respect that totally. I even celebrate it. It is called free will.

On the other hand, many will. These phoenixes will burn down completely to then rise from the ashes in glorious colours, more resplendent than ever. And the more that do so, the more that will keep on doing so. Like motivates like, creates like and thus the world changes. It is changing. Some might say it is worse than ever. I feel it quite differently. I feel the potentials of conscious evolution blooming like never before. I feel the power of Isness combined with Human genius burning down the veils of illusion, as moment to sweet moment love seeps through the holes of mass consciousness, opening up craters of awareness where there were none. I feel the impulse of critical mass pushing the debris out of the way so that the path can be clear for many many more to find the balance they have been seeking. I feel it, I see it and I celebrate it.


I have chosen to BE LOVE and I Am. In BEING LOVE there is nothing to contain or withhold. So I overflow it and enjoy life to the millisecond, all of it, to its last infinite bit. That’s how much I LOVE… YOU.


sexta-feira, 13 de junho de 2014

Carta do SER para TI

Carta do SER para TI:


No momento em que atingires os teus objetivos quererás mais, e mais, e depois mais e mais e se por algum acaso parares e te sentires sentir-te-ás perdido e vazio e perguntar-te-ás: para quê? Porque estou a fazer isto? E não saberás a resposta. E cairás num fosso escuro e profundo de incompletude, não sabendo porque estás aqui ou quem és.

Talvez nesse momento de profundo e sombrio desespero acordes e te apercebas que vieste aqui para SER, e largarás tudo o que pensavas que eras e precisavas e render-te-ás a tudo o que és, ficando finalmente em CASA, AQUI, AGORA, em ti, contigo, sem mais busca e luta por alcançar. E aí conhecerás a completude, SERÁS e AMARÁS.

Aí pararás de usar o teu poder criativo para seduzir e manipular, usando e abusando, sendo usado e abusado, esforçando-te e lutando e tomarás uma decisão entre continuar a lutar contra quem não és ou cooperar com quem és. Pararás de fugir da quietude e abraçá-la-ás como um soldado exausto, finalmente de volta do campo de batalha, dorido e vazio, ansiando por paz. E aí verás que não há separação, nada por que lutar ou contra que lutar, nada a atingir… apenas há este lago infinito de SER onde tudo reside e nada permanece, ilimitado na sua vastidão, interminável e completo.

Talvez um dia, se tiveres a coragem de largar e cair nos braços de Deus, aí verás que aquilo a que tens chamado de Deus e com o qual tens estado zangado por te ter abandonado, eras apenas tu a fingir não ser o Deus que és, uma centelha infinita de SER que é tudo o que há para ser, que tem tudo o que há para ter.

Então não terás que ir a nenhum lugar em busca do amor, em busca da riqueza, em busca de compreensão, em busca de paz, em busca do lar. Serás isso. És isso. Apenas te esqueceste.

Talvez um dia.

Nessa altura não haverá nada para esconder, nada de que esconderes-te, nenhum lugar onde esconderes-te e pararás de adiar ser inteiro para um tempo posterior que não existe. Pararás de não existir aqui. Verás que não há nenhum outro lugar onde ser e estar.

Não te preocupes. Entretanto não perdeste nada. Nunca houve nada para perder… ou ganhar. Foi tudo apenas um jogo de perda, de desgosto e dor e embora parecesse real, nunca foi verdadeiro. Foi apenas uma mentira ilusória que te contaste a ti mesmo para que pudesses experienciar não ser quem és – criando complexidade para esquecer a simplicidade.

Então encontrarás o que nunca esteve perdido. Eras tu que estavas perdido. E perdeste-te de propósito, pela excitação de te poderes encontrar de novo, mas eventualmente ao longo do caminho, esqueceste-te desse propósito.
Talvez um dia o amor baterá mais forte no teu coração do que o medo na tua cabeça e pararás, respirarás fundo e lembrar-te-ás da verdade de quem és.

Bem, podes voltar para casa agora. Podes ficar aqui, agora e deixares-te amar a ti mesmo, deixares-me amar-te, deixares-te amar-me, deixares-nos ser UM.

Entretanto estarei aqui, em CASA, sempre e de todas as formas, respirando pacientemente, apenas sendo, sabendo que tu és eu, querendo muito ser um contigo. Pacientemente esperando para que me convides para dançar como eu te convidei a ti, e eis que te tornarás a dança. A vida terá permissão para viver e fundir-nos-emos. Eu estarei aqui, ansiando que ouças a minha respiração, que acordes, que vivas, que ames.

Com Amor


A tua Essência


quinta-feira, 12 de junho de 2014

Gifts of Isness

After lunch today I took some time to lie down and just enjoy BEing, breathing my vastness, breathing receptivity, totally blended with all there is... and after a while, amongst other amazing gifts of love I received this box of absolutely precious, delicious, amazingly juicy organic strawberries! It was like receiving a box of diamonds, literally. Well here it is. I share it with you just for the Love of it :)

Wish you a loving day too! <3


quarta-feira, 11 de junho de 2014

Precious Words / Palavras Preciosas

Precious Words / Palavras Preciosas


Take care of your words as if they were the most precious gemstones, the rarest treasures. Do not waste your treasures on illusion. Share them in Isness.
With Love 
T. C. Aeelah
+++
Cuida das tuas palavras como se fossem os cristais mais preciosos, os tesouros mais raros. Não desperdices os teus tesouros com a ilusão. Partilha-as no SER.
Com Amor
T. C. Aeelah


terça-feira, 10 de junho de 2014

Maybe one day / Talvez um dia

Maybe one day / Talvez um dia


Maybe one day love will beat stronger in your heart than fear in your head and you will stop, take a deep breath and remembre the Truth of who you ARE 
***

Talvez um dia o amor baterá mais forte no coração do que o medo na tua cabeça e pararás, respirarás fundo e recordar-te-às da Verdade de que ÉS 

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Letter from ISNESS to YOU:

Letter from Isness to YOU:

The moment you achieve your aims you will want more, and more, and then more and more and if by any chance you stop and feel yourself you will feel lost and empty and you will question yourself: What for? Why am I doing this? And you won’t know the answer. And you will fall into a deep black hole of emptiness, not knowing why you are here or who you are.

Maybe, in that moment of deep and dark despair you will wake up and realise you came here to BE, and you will let go of everything you thought you were and needed and you will surrender to all that you are, finally staying at HOME, HERE, NOW, in you, with you, no longer seeking or striving. And then you will know fulfilment, you will BE and you will LOVE.

Then you will stop using your creative power to seduce and manipulate, using and abusing, being used and abused, struggling and fighting and you will decide between fighting against who you aren’t or cooperating with who you are. You will stop running away from stillness and you will embrace it like a tired soldier, finally back from the battle, sore and forlorn, longing for peace and then you will see there is no separation, nothing to fight for or against, there is nothing to achieve, there is just this infinite pool of Isness where all resides and nothing remains, boundless in its vastness, endless and complete.

Maybe one day, if you have the courage to let go and fall into the arms of God, then you will see that that which you call God and have been angry at for abandoning you, was just you pretending not to be the God that you are, an infinite speck of Isness that is all there is to be, that has all there is to have.

Then you will not have to go anywhere to seek love, to seek wealth, to seek understanding, to seek peace, to seek home. You will BE it. You are it. You have simply forgotten.

Maybe one day.

Then there will be nothing to hide, nothing to hide from, nowhere to hide and you will stop postponing being whole for a later time that does not exist. You will stop not existing here. You will see there is nowhere else to be.

Don’t worry. Meanwhile you have lost nothing. There was never anything to lose… or win. It was all just a game of loss, heartbreak and pain and though it seemed to be real it was never true. It was just an illusionary lie you told yourself so that you could experience not being who you are – creating complexity to forget simplicity.

Then you will find that which was never lost. It was you who was lost. And you got lost on purpose, just for the thrill of finding yourself again, but eventually along the way you forgot that’s why you got lost.
Maybe one day love will beat stronger in your heart than fear in your head and you will stop, take a deep breath and remember the truth of who you are.

Well you can come back home now. You can stay here, now, and let you love you, let me love you, let you love me, let us be ONE.

Meanwhile I will be here, HOME, always, all ways, patiently breathing, just being, knowing you are me, longing to be whole with you. Patiently waiting for you to invite me to dance as I have invited you, and then you shall become the dance. Life shall be allowed to live and we shall blend. I shall be here, longing for you to listen to my breath, to wake up, to live, to love.

With love,

    
Your Essence

by T. C. Aeelah (InPassion Publications)


sexta-feira, 6 de junho de 2014

PODER

Poder


A linha entre o Poder da Sedução e o Poder do Amor e muito fina.

O Poder da Sedução faz-nos sentir fortes, bonitos e brilhantes, cheios de energia, eufóricos e… claro, PODEROSOS – mas, temporariamente. Este Poder que manipula diz-nos que nos vai dar tudo o que precisamos, que nos vai abrir todos os caminhos, que nos vai fazer triunfar, que é o verdadeiro poder, que o sucesso é nosso e é garantido, que não há obstáculos que não consigamos ultrapassar, que só nós importamos, que somos o máximo, que somos invencíveis… Mas afasta-nos de estar em silêncio, faz de tudo para nos manter ocupados e distraídos, faz de tudo para obter aprovação, bajulação, idolatria. É a própria luxúria que não olha a meios para usar a energia de quem se atravessa no caminho para o nosso melhor propósito, que é, neste caso, continuarmos fortes. É egoísta. É embriagante. Alucinante. Leva-nos a abusar das emoções alheias e a usá-las em nosso próprio proveito. Leva-nos a correr em frente como touros destravados, sem olhar a meios para atingir o nosso fim, que é, sempre e invariavelmente – sentirmo-nos no topo do mundo, invencíveis. Este é o poder do Desequilíbrio primordial entre o Feminino e Masculino dentro e fora. É o poder que pôs o mundo da forma como está e que leva as pessoas a cometer as maiores atrocidades. E flutua entre altos de intenso êxtase e adrenalina, que nos atordoam de poder, e baixos de vazio, de necessidade de busca de algo que preencha esse vazio, de distração permanente, de stress e correria, de melancolia e um sentimento difuso de culpa, de angústia inexplicável, de sufoco e até, em momentos, de desespero e total confusão. Este não é o Poder do Amor – isto é, o Poder da Essência. Mas às vezes parece. E parece-se muito mesmo, de tal forma que nos confunde completamente e nos emaranha numa teia que normalmente só vemos quando estamos muito enrolados e sofridos – perdidos. É o nosso lado obscuro. E é muito subtil. Muito hábil. Tão subtil que nos faz acreditar que estamos ótimos, ainda que aos altos e baixos. Tudo o que for preciso para que não nos aproximemos da nossa Essência, porque ela é a morte de todo esse jogo do Poder da Sedução. Este jogo está presente em muitas áreas da vida comum – nas figuras do desporto, da moda, do cinema, da música, da televisão, na política, nas organizações maiores e menores, nos nosso locais de trabalho, em casa, nos grupos de amigos e clientes (para quem tem clientes) e espelha-se sempre como a necessidade de ficar sempre na mó de cima, sempre na ribalta, sempre a lutar por mais, mais e mais, dinheiro, sexo, coisas, aprovação… e mais e mais e mais. E mantém-nos em constante dúvida se é para ir por aqui ou por ali, para ir ou para ficar, assim ou assado. Sempre a balançar e a pender para todos os lados menos para o centro.

Em que é que difere então do Poder do Amor, perguntas tu?

O Poder do Amor é suave ainda que mais intenso que tudo o resto. É sereno e simples. É arrebatador sem no entanto nos remover de nós, muito pelo contrário – traz-nos de volta a nós. Não procura provar nada, não procura sucesso, não procura aprovação, não procura luxúria, não seduz nem manipula. O Poder do Amor é Compaixão. Não tem altos e baixos. É neutro – nem aqui nem ali – É. Não confunde. Não complica. Não duvida. Não empurra nem força. Não usa os sentimentos alheios para obter o que quer porque na verdade não quer nada. Já é inteiro em si mesmo. O Poder do Amor é Gratidão permanente que não ignora mas abraça, que não esconde mas expressa e transborda. O Poder do Amor não mente, não subjuga, não engana, não confunde. Mas como não obriga nem clama por atenção muitas vezes não se ouve. Está escondido por detrás do maior medo de todos. O MEDO DO AMOR. E porquê? Porque AMAR, amar a sério, significa perder tudo. Perder as ilusões acerca do que pensávamos ser e querer. Perdermo-nos por completo para encontrar afinal TUDO. Este perder tudo pode não ser literal, na vida física, mas por vezes também o é. É o medo do desconhecido porque só se pode conhecer amando, vivendo em amor o amor. A nossa Essência é isto. É isto que ela tem para nos dar. Absolutamente TUDO.

E uma das maiores trapaças do Medo do Amor é: será que estou preparado/a?

Se o tens à tua frente certo é que estás preparado/a, senão não se teria manifestado claramente neste aqui e agora. Não é para amanhã nem para daqui a uma semana. É para JÁ! A força da tua Essência é tão, mas tão grande que te assusta, por vezes. É tão intensa, tão transparente, tão pura, tão verdadeira que nada pode ficar escondido, não há mais espaço para brincadeiras ilusórias de ser quem não és e ainda assim achares que estás a ser quem és. Não há mais espaço para manipulação e sedução. Não há mais espaço para subjugar, para remover a energia seja de quem for só para nos sentirmos temporariamente fortes e não sentirmos a dor da vítima No Poder do Amor não há vítimas. Mas no Poder da Sedução há, e a vítima é a mesma que o abusador. O Poder da Sedução está em ambos os polos. As vítimas em nós são, aliás, altamente sedutoras.


O Poder do Amor é algo que nos preenche por completo. É plenitude. É alegria transbordante – não euforia. É amar-se a si mesmo tanto, com tanto respeito, com tanta dedicação, que só pode mesmo amar-se o outro, os outros, com pleno respeito e dedicação. E nisto é a antítese do egoísmo, ainda que seja amar-se a si mesmo completamente. E quem se ama completamente não gasta a sua energia de forma vã, não remove a energia do outro de forma alguma. O Poder do Amor é um colo confortável e terno que nos aconchega e mima sem nos agitar. O Poder do Amor não nos faz correr e stressar, não cria ansiedade – mas o medo do amor cria, e muita.

Muitos de nós já cá andamos há algum tempo. E chegou a hora. Esgotou-se o tempo do recreio. As nossas Essências já não querem mais brincar ao não Ser. Já sabem como é. Já viram de tudo. Já viram o resultado disso também. Repetidamente.

A tua Essência quer voltar para CASA. Quer-te. Agora.

Bem vindos meus amigos, à vossa Zona não Cartografada ;) (deixa do InPassion Un-Limited Editions). O jogo agora é outro, mas não dá para jogá-lo só às vezes, só a prestações. Requer-te PRESENTE em ti, atento às tuas flutuações e nuances, consciente da diferença entre quem és e quem pareces ser.

E por isso vos desafio: respirem conscientemente. Não só às vezes. Só alguns dias. Só quando dá jeito. Só quando conseguem encaixar isso na vossa atribulada agenda. Fiquem presentes e observem-se. Em vez de irem atrás da mente, observem-na. Em vez de se perderem nos seus questionamentos e argumentações, fiquem presentes, em silêncio interno. Apenas respirando e observando, aprendendo a SER o que já são e sempre foram… mas que entretanto esqueceram J

quarta-feira, 4 de junho de 2014

The Surfer / O/A Surfista

The Surfer / O/A Surfista


You are a surfer. You’re in the sea. The waves are building up.

Suddenly a huge wave comes along. It builds up to magnificent proportions.

You can panic and let it pound on you, beat you up and drown you, letting fear control you.
Or… you can feel the fear, face it, and yet choose to ride the wave. Letting go of the need to control the wave, yet fully conscious of your choice to ride it. This time fear shall not drag you along into its dark recess. It shall not control you. You choose this option. Your mind switches off. You cannot think anymore. You get out of the way and let it all happen. You feel into the wave. You blend with it. You become one with it. And there you are. Standing on your surfboard. In complete surrender to the moment. The wave is gliding through the ocean. You are gliding through the wave. There is nothing else to do or to be in this moment. It requires the whole of you. You realise you can do it. You realise there is nothing missing. You realise you are complete. Passion courses your veins and blasts through your heart, leaving no space for anything but ALL of it. This is bliss. The orgastic knowingness of who you are – of knowing you are alive. Of knowing YOU ARE LIFE.

And thus, when LOVE hits your ocean you can panic and let fear control your dance… or you can surrender and let it happen in all of its grandness – THIS IS WHO YOU ARE.

Note: read LOVE in whichever way you like – inside or outside it is the same one thing. You are just one, even though there seems to be a separation between inside and outside it is all just a pure reflexion of you, experiencing your SELF.

***
Tu és um surfista. Estás no mar. As ondas estão a aumentar.

De repente forma-se uma onda enorme. Assume proporções magníficas.

Podes entrar em pânico e deixar que ela te esmague e afogue, deixando o medo assumir o controlo de ti.

Ou… podes sentir o medo, encará-lo e no entanto escolher surfar a onda. Largando a necessidade de controlar a onda, ficando no entanto completamente consciente da tua escolha de surfá-la. Desta vez o medo não te vai puxar para a sua masmorra sombria. Não te irá controlar. Escolhes esta opção. A tua mente desliga-se. Já não consegues pensar. Sais do caminho e deixas que aconteça. Sentes a onda. Fundes-te com ela. Tornas-te um com ela. E ali estás tu. De pé na tua prancha. Em total entrega ao momento. A onda desliza sobre o oceano. Tu deslizas sobre a onda. Não há nada mais para fazer ou para ser neste momento. Requer-te na totalidade. Dás-te conta de que és capaz. Dás-te conta de que não falta nada. Dás-te conta de que és completo/a. A paixão corre-te nas veias e inunda-te o coração, deixando espaço para nada mais que TUDO. Estás em êxtase. A sabedoria orgástica de quem és – de saber que estás vivo/a. De saber que ÉS A VIDA.

E eis que, quando o AMOR aterrar no teu oceano, podes entrar em pânico e deixar que o medo controle a tua dança… ou podes render-te e deixar que aconteça em toda a sua grandeza – É QUEM TU ÉS.

Nota: lê AMOR da forma que quiseres – dentro ou fora é tudo a mesma coisa. Tu és apenas um, mesmo que pareça existir uma separação entre o dentro e o fora, é tudo apenas um puro reflexo de ti, experienciando SER.





terça-feira, 3 de junho de 2014

RESPECT / Respeito

Overflowing in LOVE doesn't mean you are going to sit and engage in argumentative, point proving discussions or even listen to repetitive circles of already addressed issues just to be nice. Actually, it means the opposite. It means that when this is a time consuming, non respectful use of both people's energy, in all RESPECT for both, you shall simply disengage from the need to prove anything and move away, saving everyone's energy for better purposes... such as living LIFE in pure passion 
Such is the simplicity of just BEING the breath of ISNESS. No matter what it seems to others.

***


Transbordar de AMOR não significa que vais ficar a argumentar algo, em discussões intermináveis com a intenção de provar algo ou até mesmo ouvir círculos repetitivos de assuntos já mais que previamente abordados apenas para seres "bonzinho/boazinha". Muito pelo contrário. Significa que quando se trata de um uso não respeitoso da energia de ambos, que consome tempo e atenção, com todo o RESPEITO por ambos, simplesmente te desligarás da necessidade de provar seja o que for e seguirás o teu caminho, poupando a energia de todos para melhores propósitos... como por exemplo VIVER a VIDA em pura paixão 
E assim é a simplicidade de apenas respirar SENDO . Não importa o que os outros pensem de ti.