quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Money, Abundance... / Dinheiro, Abundância... / Part 6

Money, Abundance, Happiness and Freedom - Part 6

Dinheiro, Abundância, Felicidade e Liberdade - Parte 6
(Versão Portuguesa abaixo)


The gates to the Garden of Abundance are generally elusive for lack of acceptance of its Infinity.

Let me explain.

Abundance itself is unlimited, infinite and permanent. In the world of duality where we are here on Earth, we live exactly the opposite: limitation, finitude and impermanence.



So tapping into something with no boundaries is an enormous challenge of acceptance – the acceptance of the fact that what we perceive in 3D reality is mostly and illusion.

In order to let go of the limited perception 3D offers us, we first need to open up to the fact that there is more to reality than meets the eye – in other words, there’s more to reality than we can grasp at any given moment.


The boundless divinity where all of creation is born and returns to in a constant alchemical recycling of energy is everywhere, both tangible and intangible.

We are not just human and nothing is just unidimensional.

The extent to which we are willing to accept this, determines the extent of our willingness to embrace Abundance.

Further even, the extent to which we are willing to surrender our Small Human Self, usually called the Ego, to our expanded Self – usually called Soul or Spirit (I call it Essence, or The God Within), determines our capacity to embrace abundance.


It is the Ego that creates all of the illusions necessary to live the paradigm of survival, i.e.: suffering, effort, fighting, endless unfulfilled desire, emptiness, depression, anguish… All of that which sooner or later becomes so unbearable that we finally feel the click inside, the urge to listen to that still silent voice that softly whispers boundless abundance, nurturing us with endless Love and eternal Peace.

We all have a knowingness it exists, but find it hard to believe in something so simple, fluid, unlimited and eternal, so we keep on fooling ourselves into believing the opposite – sometimes surrendering in hiccups (sometimes we do, sometimes we resist), making the gates to the Garden of Abundance appear and disappear in honour of the Master illusionists we are.

I will share a bit of my love story with Abundance with you.

At the beginning, when I started to realise it could be a different way, one thing I came across was a huge resistance to so much. It’s as if the sheer notion of Abundance was so overwhelming it would destroy me – making me explode with its intensity. And it does. It implodes the Ego and explodes a Life of Bliss into our entire reality.

I used to ask myself: can I take it? Am I capable of handling so much?



So I had to teach myself, through surrender to the guidance of Essence. I had to teach myself how to let go of my old paradigm in order to embrace the new one I knew I wanted. I had to allow the impossible to be possible and let go of the need to know… the need to know How? What? When?

There were many Why’s too and my Essence, God within me, which is the same as God everywhere, would gently show me the answers, never forcing, never arguing, never judging, just showing one breath at a time.

The more I gave myself to the One that I Am, acknowledging my preciousness and accepting that no less than that could reflect back at me through my reality, the more my life became a magical stream of Abundance in all forms – money being the least relevant of it all.



Just a side note here about money. The reason why it seems so all-important and mighty, is that it creates an illusory seduction around it, making it seem more relevant than any other form of Abundance and is then used to manipulate us through the creation of unfulfilled desires and illusory needs which require it in order to be fulfilled. But once fulfilled, one desire or need turns into another and another and another in a never ending story of lack and futurology (“when I have ….. (whatever one may want to use to fill the space) I will be happy/ fulfilled/ complete…). The thing is nothing outside can create permanent fulfilment or joy, love or peace, harmony or balance. It works from the inside out.

I could go on and on about this fascinating subject, but I will just wrap it up with an illustration of the Abundance I live in my life on a daily basis, just by sharing instants of this past week’s Abundance with you:

* An invitation to stay at a couple of friends’ house in Lisbon, after my book presentation (BE!... Love: Beyond Illusion) + an invitation which includes the ticket to go an watch a beautiful ballet on Sunday, curiously about the blend between Feminine and Masculine.

* An offer to have a meeting room at a Hotel in Porto paid for + publicity for me to present my book there successfully.

* 2 new work opportunities.

* A free SPA session.

* A Word Course where I am being guided to improve and expand my limited skills with this software, which is in fact the one I use the most on a daily basis.

* The first 30 copies of my book sold.

* New clients together with their Trust and Love.

* Meetings with friends from all over the world where just in the course of one week we have shared work opportunities, Inspiration, Motivation, Love, Joyful Celebration of this gift of Life we are living on the same planet, at the same time.

* New connections to spread my work across the world.

* Apples, pomegranates, grapes, tangerines, homemade marmalade, cabbage, sweet potatoes, spinach, tomatoes, pumpkin, physalis, eggs, lemons, cereals, chocolate powder, dried fruits, toothpaste, deodorant, shampoo, hair softener, bread, spaghetti, pizza, cakes, energy bars, biscuits, cheese, ham, parsley, beetroot, leek, chayote, clothes for my son, a cardigan for me.

* Several lunches and dinners.

* Free access to 2 Gyms.

* Money from my work and from other simple opportunities that have come my way.

* Love, recognition, acknowledgment, understanding (now that I am not seeking for it anymore) wisdom, knowledge, joy, peace, guidance, fulfilment…

I might be forgetting something but anyway this is just an illustration of the past week. All my weeks are like this. All of my days are filled with a bubbling stream of Abundance which I continuously thank and share.

And of course I give with the same generosity I receive. I give my entire consciousness to the World, I give my Time, I give my Love, I give my Compassion, I give my Peace, I give my Silence, I give my Wisdom, I give my Balance, I give my Harmony, I give my Inspiration, I create Opportunities, I give money too, I give food and books and other things, I give my energy in a wonderful creative exchange where there is always much more than enough.

And so it Is. Blessed be the Abundance I allow in my Life and may it splash into the lives of all of those who also choose to allow it :)



***
PT

Os portões do Jardim da Abundância são geralmente difíceis de discernir por falta de aceitação da sua Abundância.

Deixa-me explicar.

A Abundância em si mesma é ilimitada, infinita e permanente. No mundo da dualidade em que vivemos aqui na Terra, experienciamos exatamente o oposto: limitação, finitude e impermanência.

Por isso mergulhar em algo que não tem limites é um enorme desafio de aceitação – aceitação do facto que o que percecionamos no âmbito da 3ª Dimensão é na sua maior parte uma ilusão.

Para podermos largar a perceção limitada que a 3D nos proporciona, em primeiro lugar temos que abrir-nos para o facto de que a realidade que reconhecemos é apenas uma parte do todo – por outras palavras, a realidade é muito mais ampla do que o que conseguimos alcançar e perceber a dado momento. 



A ilimitada divindade onde toda a criação nasce e para onde retorna numa reciclagem alquímica constante de energia está em tudo, em toda parte, quer seja tangível ou intangível.

Não somos apenas humanos e nada é apenas unidimensional.

O ponto até ao qual estamos dispostos a aceitar isto, determina a nossa capacidade para abraçar a Abundância.

Mais: o ponto até ao qual estamos dispostos a render o nosso Pequeno Eu Humano, geralmente designado de Ego, ao nosso Eu Expandido, geralmente designado de Alma ou Espírito (eu chamo-lhe Essência ou o Deus em Mim- em tudo e em todos), determina a nossa capacidade para abraçar a Abundância.

É o Ego que cria todas as ilusões necessárias para vivermos o paradigma da sobrevivência, isto é: sofrimento, esforço, luta, desejos intermináveis, vazio, depressão, angústia… tudo o que mais tarde ou mais cedo se torna tão insuportável que finalmente sentimos o clique cá dentro, o anseio por dar ouvidos àquela vozinha silenciosa que suavemente nos sussurra Abundância Infinita, nutrindo-nos com Amor incomensurável e Paz eterna.

Todos temos a sabedoria de que este algo mais existe, mas é-nos difícil acreditar que possa ser tão simples, tão fluido e ilimitado, eterno e total, por isso vamo-nos ludibriando com o oposto – ás vezes rendendo-nos aos soluços (ás vezes rendemo-nos, outras vezes resistimos), fazendo com que os Portões da Abundância apareçam e desapareçam em honra dos Mestres Ilusionistas que somos.



Vou partilhar um pouco da minha história de Amor com a Abundância contigo.

No início, quando comecei a dar-me conta de que a vida poderia ser vivida de uma forma diferente, uma coisa com que me deparei foi com uma enorme resistência em aceitar a possibilidade de tanta Abundância. É como se a mera noção de Abundância fosse tão avassaladora que me destruiria – fazendo-me explodir com a sua intensidade. E faz. Implode o Ego e explode uma Vida de Plenitude que se espalha por toda a nossa realidade.

Costumava perguntar-me: será que posso aceitar tudo isto? Será que me aguento com tanto?



Tive então que ensinar-me, através da rendição à tutoria da minha Essência. Tive que ensinar-me a largar o velho paradigma para poder abraçar o novo que eu sabia que queria. Tive que permitir que o impossível se tornasse possível e largar a necessidade de saber… a necessidade de saber Como? O quê? Quando?

Havia também muitos Porquês e a minha Essência, Deus em mim, que é o mesmo que Deus em toda a parte, mostrava-me gentilmente as respostas, nunca forçando, nunca discutindo, nunca julgando, apenas mostrando, uma respiração de cada vez.

Quanto mais eu me rendia ao Um que Sou, aceitando a minha preciosidade e percebendo que nada menos que isso poderia refletir-se de volta para mim através da minha realidade, mais a minha vida se foi tornando um fluxo de Abundância sob todas as formas – sendo o dinheiro a menos relevante de todas.

Apenas uma nota acerca do dinheiro. O motivo porque este parece tão importante e poderoso, é que cria uma sedução ilusória em torno de si mesmo, fazendo com que pareça mais relevante do que qualquer outra forma de Abundância e é depois utilizado para manipular-nos através da criação de desejos não realizados e necessidades ilusórias que o requerem para poderem ser colmatadas. Mas uma vez preenchidos esses desejos e necessidades, nascem outras e outras e outras numa história interminável de escassez e futurologia (“quando eu tiver… (o que quer que queiras usar para preencher o espaço), serei feliz/completo/ realizado…). O que se passa, de facto, é que nada (nem ninguém) fora de nós pode criar completude permanente, ou alegria, amor, paz, harmonia ou equilíbrio. Isto funciona ao contrário: de dentro para fora.

Poderia continuar e continuar a partilhar noções sobre este assunto fascinante, mas vou simplesmente terminar com uma ilustração da Abundância que vivo na minha vida diariamente, partilhando instantes abundantes vividos no decurso de apenas uma semana:

* Um convite para ficar em casa de um casal amigo em Lisboa, após a apresentação do meu livro (SER!... Amor: para Além da Ilusão) + um convite que inclui o bilhete para assistir a um bailado lindíssimo no domingo, curiosamente acerca da fusão do Feminino e Masculino.

* A oferta de uma sala de reuniões num Hotel no Porto + publicidade para promoção da apresentação do meu livro nessa cidade.

* 2 novas oportunidades de trabalho.

* Uma sessão de SPA gratuita.

* Um curso de Word onde estou a ser guiada a melhorar e expandir os meus skills limitados com este software, que é de facto o que mais uso diariamente.

* As primeiras 30 cópias do meu livro vendidas. 

* Novos clientes junto com a sua Confiança e Amor.

* Reuniões com amigos ao redor do mundo onde numa semana apenas, conseguimos partilhar várias oportunidades de trabalho, inspiração, motivação, amor, celebração alegre desta dádiva da Vida que partilhamos neste mesmo planeta, neste mesmo tempo.

* Novas conexões para espalhar o meu trabalho ao redor do mundo.

* Maçãs, romãs, uvas, tangerinas, marmelada caseira, couve, batatas doces, espinafres, tomates, abóbora, physalis, ovos caseiros, limões, cereais, chocolate em pó, frutos secos, pasta dos dentes, desodorizante, champô, amaciador, pão, esparguete, pizza, bolos, barras de cereais, bolachas, queijo, presunto, salsa, beterraba, alho francês, chu chu, roupas para o meu filho, um casaco para mim.

* Alguns almoços e jantares.

* Livre acesso a 2 ginásios. 

* Dinheiro do meu trabalho e de outras oportunidades simples que têm aparecido no meu caminho.

* Amor, reconhecimento, aceitação, compreensão (agora que já não ando à procura de nada), sabedoria, conhecimento, alegria, paz, plenitude, ensinamentos, clareza.

Posso estar a esquecer-me de alguma coisa mas seja como for esta foi apenas uma ilustração da semana passada. Todas as minhas semanas são assim. Todos os meus dias estão plenos desta torrente borbulhante de Abundância que continuamente agradeço e partilho.

E claro, dou com a mesma generosidade que recebo. Dou a minha consciência ao Mundo, dou o meu Tempo, o meu Amor, dou a minha Compaixão, dou a minha Paz, o meu Silêncio, a minha Sabedoria, dou o meu Equilíbrio, a minha Harmonia, dou comida, coisas e dou dinheiro também, dou a minha energia numa maravilhosa troca criativa onde há sempre muito mais do que apenas o suficiente.

E assim É. Abençoada seja a Abundância que permito na minha vida e que ela salpique as vidas de todos quantos escolham permiti-la também :) 










Sem comentários:

Enviar um comentário