sábado, 3 de fevereiro de 2018

O Poder da Escolha Consciente - Eco Trip/ Take 22 - FIM

Dia 21 - 2 de Setembro 


O Fim e o Início de um assentada só 


Acordo com uma sensação estranha, como se continuasse em movimento ainda que esteja deitada, aconchegada na cama, a habituar-me à ideia de que hoje é o dia de voltar para Tomar.

É como fazer o fluxo inverso do curso da água – em vez de ser o rio a escoar para o oceano, é o oceano a escoar para o rio – afunilando a imensidão do espaço e do tempo num caudal mais estreito.

Encarnar é isto mesmo – associar uma Alma ilimitada a um Corpo limitado, ainda que o centelha ínfima que incendeia o Humano com a dádiva da Vida, tenha exatamente as mesmas qualidades que o infinito no seu todo inconcebível.

O Pedro, que ao longo de todos estes dias foi consultando os mapas, ao ponto de eu o chamar carinhosamente de “Mapinhas”, hoje não tem mapas para consultar e sente-se estranho, mas tal como eu, muito feliz.

Finalmente sei porque é que muitas pessoas nunca se permitem tirar mais que uma semana, quanto muito duas de férias de cada vez. É que ficarmos fora da nossa realidade quotidiana amplia-nos a perspetiva, incendeia-nos a paixão pela vida e muda-nos ainda mais do que o tempo regular do dia-a-dia.

É certo que a coisa mais constante que existe é a mudança e que quando estamos entregues ao fluxo contínuo da Vida, sem resistir-lhe, cooperando com os momentos que ela nos traz da mesma forma que cooperamos com a Sabedoria da nossa Essência, fazendo escolhas que manifestam uma realidade plena de magia, tornamo-nos a própria mudança.

Mas a maioria das pessoas não vive assim. Vive presa aos seus mecanismos de sobrevivência cujas memórias de proteção geradas em milhares de momentos passados gerem cada passo, cada perspetiva, cada palavra.

Quando saímos o tempo suficiente da nossa realidade quotidiana ela vai-se esfumando e conseguimos realmente desapegar-nos do que parece certo e necessário, obrigatório e verdadeiro nesse contexto mais habitual. É nessa altura que questionamos os nossos costumes, pontos de vista e “obrigações” e em que se torna claro o que é preciso transformar para que possamos ser realmente felizes em cada dia, sem ter que esperar por férias. E mesmo que sejamos felizes já, vivendo em perfeita harmonia com as nossas vidas, encontramos sempre algo para transformar, ajustar e afinar, sempre que nos permitimos observar de fora, sem estarmos envolvidos no nosso filme diário.

Percebo agora que é isso que assusta os “adultos” e que faz com que prescindam de tirar muitos dias fora do seu mundo conhecido – a chamada “zona de conforto”. É o medo de realmente ver como vão as suas vidas e perceber o que há a mudar e saber que quando se voltar não vai dar para manter o status quo porque vai doer mais que nunca, uma vez que não se está adormecido no torpor do caminho hipnótico das conveniências habituais.

E, claro está, todas as mudanças têm consequências e a princípio desconfortam, principalmente por não se poder saber de antemão o seu resultado final. O curioso é que todos temos provas fortes e firmes nas nossas vidas de momentos em que seguimos a nossa intuição e implementámos mudanças necessárias, sempre para melhor, sempre sem exceção. Ainda assim a Mente analítica é exímia em produzir dúvida, impedindo a voz do coração de se fazer ouvir alto e bom som.

No meu caso em particular, uma vez que vivo poderia dizer-se “permanentemente fora da minha zona de conforto”, sempre disponível para os convites arrojados que a minha Essência me faz, a Mente entregue à voz da Alma, pois que não tenho qualquer outro propósito neste momento que não o de SER, o efeito destes 21 dias longe do meu dia-a-dia serviram para:

·          tornar muito claras as minhas escolhas para os próximos meses;
·         para espevitar ainda mais a minha criatividade;
·         para dar-me o impulso final para publicar o meu livro SER!... Amor – que entretanto ganhou o subtítulo “Para além da Ilusão”;
·         para aprender a ser ainda mais sustentável;
·         para experienciar novos níveis de liberdade;
·         para viver a harmonia constante de uma relação equilibrada masculino/feminino, em Amor pleno;
·         para materializar uma escolha que vinha fazendo há algum tempo, que era a de mergulhar na pura beleza deste planeta, apreciando a arte que nele habita, quer seja criada pela mão humana, quer seja uma dádiva da Natureza.

Quando me entreguei por completo a SER, finalmente livre dos padrões da consciência de massas, sem dramas na minha vida e implementando consistentemente uma realidade de completa bem-aventurança, cheguei a um ponto em que não há nada por realizar ou por dizer que não tenha sido feito ou dito e por isso poderia, se assim o escolhesse, retirar-me da vida quotidiana e viver serenamente num ermo, na pura paz de SER ou até mesmo partir da Terra, mas escolhi ficar e criar uma nova vida onde vivo o Divino na simplicidade de actos comuns, como trabalhar, interagir com todo o tipo de pessoas, manter uma casa, ter família, todas as coisas aparentemente normais, mas vividas de uma forma muito diferente.

Sou hoje um Humano Divino que vive uma vida normal de uma forma extra-ordinária e esta viagem foi um contínuo ressoar dessa consistência.

Sinto-me tão profundamente grata por absolutamente tudo na minha vida que até uma simples respiração, um simples momento de quietude, um toque, um olhar, um passo, um sorriso, uma lágrima, um nada, um simples ficar – me fazem transbordar de regozijo pelo precioso privilégio de Estar e Ser, Aqui e Agora.

***
Hoje é dia de arrumar o carro, lavar a pouca roupa que levámos, aterrar no quotidiano mas de forma amorosa e cuidada.

No início do ano comprámos um pacote de sessões de SPA num Hotel aqui perto e ainda nos resta uma, pelo que marcamos e vamos desfrutar da suavidade da água a massajar-nos o corpo e a alma.

Quando chegamos perguntamos se não é preciso assinar nada – sempre foi preciso assinar – mas não. A senhora que nos atende diz que não.

Quando saímos voltamos a perguntar se não é preciso assinar nada e voltamos a obter a mesma resposta.

Mais tarde acabamos por perceber que se calhar este é um presente da Vida. Sabes, um daqueles presentes que se recebe só porque se transborda de abundância.

Passados uns dias acabamos por confirmar que sim – foi um presente diria das nossas Almas, brincalhonas e alegres, sempre prontas a mostrar-nos o quão abundantes somos.

É que quando um mês mais tarde telefonamos para perguntar se o pacote acabou, ainda nos resta uma sessão!

Igualmente, o Pedro dá-se conta de que um dos parques de campismo em França e o quarto em Florença não foram descontados do cartão. Mas ambos os sítios têm todos os nossos dados de contacto bem como os dados de pagamento.

Ao fim de duas semanas é certo que não vão ser descontados esses valores, pelo que ganhámos 77€ + 20€ do SPA. O engraçado disto é o seguinte: tanto eu como o Pedro tínhamos dito inicialmente que iríamos usar 500€ cada um para esta viagem. Acabaram por ser 555€, mas com esta reviravolta acabámos por ficar mesmo mesmo na casa dos 500€ mais uns trocos 😊 É isto a materialização pura e simples da Escolha Consciente.

Agora que a viagem terminou e que sabemos o quão abundante foi, nem nós conseguimos explicar como usámos tão pouco dinheiro para 21 dias de Plenitude, passando por 4 países sem nos sentirmos limitados ou privados seja do que for.

É isto a sustentabilidade. Podermos usar a energia que nos serve com tanto respeito que sobra… aliás não acaba nunca, apenas assume formas diferentes.

Com o dinheiro que restou pudemos passar mais um fim de semana mágico na praia para celebrar o meu aniversário a 29 de setembro! Por isso poderia dizer-se que a Eco Trip ainda se estendeu por mais 3 dias, com um interregno de 3 semanas pelo meio 😉


O bolo lindo que a minha filha fez para mim :)




SPA num dos hotéis onde ficámos no fim de semana dos meus anos :)



Como me sinto :)




Unidos pela PAZ <3






Houve ainda mais uma grande mudança sustentável que decorreu da fabulosa Eco Trip. É que descobri que o meu corpo precisa de cada vez menos alimento pois alimenta-se cada vez mais do ar que respiro!

E aconteceu de uma forma bem gira.

O Pedro perguntou-me o que eu gostava que ele me oferecesse para os anos e eu escolhi logo um copo misturador daqueles que dão para fazer “Smoothies” cremosos com todo o tipo de frutas e legumes.

Então, no fim de semana do meu aniversário parámos em vários sítios para ver aparelhos desses e até consultámos lojas online. Depois de termos uma perspetiva ampla do assunto, calhou-nos em caminho passar pelo Jumbo na Figueira da Foz.

Estava lá uma máquina mesmo como eu queria e com 20€ de desconto até esse dia.

Decidimos levá-la.

Quando chegámos à caixa a senhora perguntou-nos se não quereríamos fazer o Cartão Jumbo pois teríamos mais 10% de desconto, o que, sendo o cartão gratuito, valia a pena. 

Então lá fomos ao balcão das informações fazer o cartão – e se há coisa que não quero é cartões!!! Mas escolhi fazê-lo agora para depois anular passado uns dias. 

Enfim, agora vem a melhor parte: a senhora deu-nos 2 talões de 5€ de desconto cada e que podiam os 2 ser usados nesse mesmo dia!!! Então o copo misturador acabou por ficar cerca de 40€ mais barato que o preço marcado de tal forma que quando a senhora disse o valor a pagar fiquei confusa, achando que ela se tinha enganado. Mas não. Este era claramente, mais um presente das nossas Almas! Hehehehehe

O resultado é que passei a beber muitas vezes – praticamente todos os dias - um bom sumo de frutas e/ou legumes e a sentir como o meu corpo fica feliz com isso. É uma leveza incrível e o meu nível de energia aumentou ainda mais. Aliás, quanto menos como mais energia tenho. E não sinto fome, nem gulodice, nem falta de nada. A gula desapareceu! E isso é uma grande grande liberdade.

Não sei como acontece, cientificamente, mas é um facto inegável que quanto mais entregues estamos a SER, quanto mais estamos conscientes da nossa Respiração e desfrutamos dela momento a momento, totalmente Presentes, mais ela nos alimenta de todas as formas e em todos os sentidos.

Este foi, para mim, o resultado mais significativo da Eco Trip – o meu próprio corpo tornar-se mais sustentável, cada vez mais próximo, mais entrelaçado com a Essência que o habita. Isto já vinha acontecendo há algum tempo, eu é que não tinha ainda percebido porque andava entretida com os afazeres do dia-a-dia, mas sair de tudo permitiu-me sentir-me tão próxima de mim, tão em Silêncio que caiu essa ficha!

Ah e com isto percebi que quando fazemos uma escolha consciente, não somos nós que definimos quando ela se materializa – ela ganha vida própria. É que eu tinha escolhido começar o processo de passar gradualmente a viver apenas do ar que respiro lá mais para os 60 ou 70 anos de idade, quando eventualmente tivesse uma vida social menos ativa, sem os filhos em casa, quando fosse menos estranho… mas tendo feito a escolha, ela começou a materializar-se bem mais cedo, no seu próprio momento certo, sem agenda.

Agora observo curiosamente essa escolha a ocorrer, sem limites ou limitações, ao seu próprio jeito. 

Não sei como, nem quero saber, apenas sinto e permito que ocorra momento a momento.

E assim é, meus amigos. Com isto termino esta partilha de 21 dias e mais uns quantos... e afirmo que a Vida nos reflete sempre e de todas as formas, pois somos Um com Ela, que é o mesmo que dizer que somos Um com Deus, que é igual a constatar que Somos a Vida em si mesma e o que ocorre "nela" é apenas Ela/ Deus acontecendo - Deus, a Vida, Eu, Tu, é tudo Uma e a mesma "coisa" experienciada no contexto de todas as "coisas".




Adorei estar contigo ao longo destes meses em que fui passando “para o papel” os sentires que me incubam as palavras – mais precisamente 5 meses – foi o tempo terreno que esta janela para um agosto diferente levou a verter o seu pó de fada nos meus dedos para que as teclas do computador pudessem refletir alguns apontamentos que acabaram por eternizar-se, mostrando assim que cada momento é muito maior que o Tempo que parece ter.

Obrigada por leres e sentires comigo <3


Um Abraço com Amor e até já


T. C. Aeelah


Um presente de aniversário que recebi um mês depois, e que esperava por mim na minha secretária, quando um dia cheguei ao trabalho, preparado com carinho por uma colega e amiga de longa data <3

Sem comentários:

Enviar um comentário